Boa 100rveja-Feira…. com Sans Frontiere

By | 29 de janeiro de 2016

 

Cerveja e ingredientes da harmonização antes da festa

Esta semana vamos quebrar, ou melhor, beber a fronteira dos 100 artigos com a Sans Frontiere, presente dos meus grandes amigos do Beercast!

Produzida pela conhecida To Øl da qual já comentamos anteriormente no artigo da Sur Citra e Sessions : Sesson.

Como já falei da cervejaria antes, vou aproveitar para deixar meu lado acadêmico falar mais alto e comentar algumas estatísticas destes 100 artigos.

Começando pelos estilos foram 49 estilos diferentes, ou seja, um estilo novo a cada duas semanas em média. O estilo mais presente nas colunas foi o American Pale Ale com 10 textos (10%), seguido pelo Saison/Farmhouse Ale com 8 (8%). Uma curiosidade é que estilos comuns como Porter, Helles, Tripel, Brown Ale, German Pils dentre outros aparecem somente uma vez, enquanto estilos como Sem Álcool, Spiced Beer e India Black Ale aparecem mais de uma vez.

Quando vamos avaliar as nacionalidades das cervejas os dois primeiros lugares são meio óbvios, Brasil com 29 textos e EUA com 21. O interessante vem na seqüência, onde Bélgica e Dinamarca ocupam empatados o terceiro lugar com 8 textos cada e Inglaterra e Canadá empatam no quarto lugar com 7 textos cada. A lanterna fica por conta da Nova Zelândia, o país que teve uma coluna filha única.

Sans Frontiere

2016.01.29 Sans FrontiereDados Técnicos:

Cerveja: Sans Frontiere
Estilo: Belgian Pale Ale
Teor: 7%
País de origem: Dinamarca
Embalagem: 750 ml
Nota: 4

Ao servimos encontramos uma cerveja em tom de ouro velho, levemente opaca e com espuma de bolhas muito pequenas e persistente.

No aroma temos em primeiro plano as notas de malte, cítrico com toque de laranja, frutas amarelas maduras como damasco e manga e um toque alcoólico discreto, enquanto que em segundo plano encontramos a presença de notas de pinho, condimentos e um toque selvagem que remete a suor.

Ao provarmos a Sans Frontiere vemos que se trata de uma cerveja de corpo médio alto e média carbonatação, enquanto que no sabor vemos o malte levemente adocicado surgir em primeiro plano acompanhado pelas notas de damasco, manga madura e mel. Em segundo plano encontramos a presença de um leve adstringente e um final salgado e seco.

No aftertaste o malte e o frutado saem do palco para darem espaço para as notas selvagens trazidas pela segunda fermentação feita com Brettanomyces. Encontramos notas levemente salgadas, adstringente e couro.

A Sans Frontiere é uma cerveja com inicio maltado e frutado que nos leva a crer que se trata de uma Belgian Pale Ale comum, mas seu final seco, selvagem e levemente salgado a tira do meio comum e demonstra que a To Øl sabe inovar sem perder o equilíbrio da cerveja.

Para a harmonização… bem, se trata da harmonização da centésima coluna. Então desta vez trouxe um convidado para a cozinha para me ajudar a preparar a receita. O Lucas de Oliveira, participante do Masterchef Brasil e meu amigo, aceitou o convite para me ajudar na harmonização.

2016.01.29 Sans Frontiere Bro

Eu, Lucas de Oliveira e a churrasqueira, três amigos de longa data.

Pensando no perfil frutado inicial e selvagem ao final que a cerveja nos apresenta, vamos buscar algo que possa se aproveitar destes dois momentos.

Proponho um hambúrguer caseiro acompanhado de chutney de manga. O inicio da cerveja com notas de malte adocicado e frutado irá salientar ainda mais a presença frutada e condimentada do chutney de manga, que continuará a ser destacado quando as notas mais salgadas e selvagens da cerveja surgirem, porém desta vez ressaltando também o sabor do bacon e da carne.

2016.01.29 Sans Frontiere Harmonização

Hamburguer caseiro, bacon crocante, queijo, chutney de manga e maionese caseira

E não poderia terminar esta coluna sem agradecer ao Lucas por fazer este chutney (e me dar a receita), ao pessoal do Beercast Brasil pelo espaço e pela amizade e a todos os leitores da coluna, que me incentivam a continuar estudando, bebendo e escrevendo.

Prost!!!

Fabrizio Guzzon

15 thoughts on “Boa 100rveja-Feira…. com Sans Frontiere

  1. Pingback: Cervejas Edelbrau – Beercast #144 - Beercast Brasil

  2. Pingback: Cerveja Batemans Combined Harvest – Beercast #143 | Podflix

  3. Pingback: Cerveja Batemans Combined Harvest – Beercast #143 - Beercast Brasil

  4. Luquita

    Aeee parabéns Guzzon, valeu pela dedicação… seguindo os passos do podcast!

    Acredito que muita gente lê suas avaliações mas sempre são 3 mesmos a comentar rs.

    Bela cerveja, não tinha como dar errado!

    Bora para mais 100, 200, 300… badges de untappd!

    Abraços

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Luquita

      Valeu Bro!

      Não podia ter achado casa melhor para a coluna!

      Abç
      Guzzon

      Reply
  5. Anselmo Mendo

    Guzzon, parabéns! A gente é que agradece por ter enriquecido tanto o conteúdo do blog. E como o Daniel falou, acho que na estatística de comentários ele aparece em primeiro e eu em segundo 😀
    Vamos gravar um programa do BC com o Lucas? Ele gosta de cerveja? Seria bem legal!

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Anselmo,

      Você e o Daniel estão sempre presentes nos comentários, talvez só quando viajam que não comentam… e olhe lá… rsrs

      O Lucas curte cerveja sim, ele tem um patrocínio da Bamberg. Posso conversar com ele para ver quando ele pode gravar um programa com vcs… acho que ele topa de boa.

      Abç
      Guzzon

      Reply
        1. Fabrizio Guzzon Post author

          Anselmo,

          Vou conversar com o Lucas e aviso vocês. Vamos ver se marcamos algo bem legal.

          Abç
          Guzzon

          Reply
  6. Daniel Córdova

    Graaaaaande Guzzon!!!!100!!!!!
    Parabéns pela centésima cerveja-feira, e que venham muitas mais!
    Não sei se comentei em todas as 100 vezes, mas gostaria de ver as estatísticas do pessoal que mais comentou hahaha
    Vou te desafiar então para trazer um estilo diferente e que ainda não apareceu aqui. Quero ver vc tomar uma Eisbock.
    Sobre essa cerveja não tenho muito o que comentar, só imaginar que deve ser animal. Legal que o pessoal te deu de presente, To Øl é muito foda!
    A harmonização também deve ter ficado animal. Adoro fazer hambúrguer em casa e me faz falta uma churrasqueira. Mas nada que uma chapa de ferro bem quente e uma essência de fumaça na hora de derreter o queijo não possam ajudar.
    Passa aí a receita do chutney! Estou curioso pra fazer um no meu próximo burguer. Se for confidencial, sem problemas hehe
    Abraço e parabéns novamente!

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Daniel,

      Valeu Bro, não sei se vc comentou em todas as colunas, mas acho que em praticamente todas, exceção ao periodo que você estava viajando.

      Vou procurar uma Eisbock bacana para fazer uma coluna! Vou ver nos emporios que frequento o que eles tem de legal.

      E passo a receita do chutney sim, só preciso ver direito… eu peguei “no olho” a receita enquanto o Lucas fazia… rsrs

      Abç
      Guzzon

      Reply
      1. Daniel Córdova

        A Aventinus Eisbock da Schneider é sensacional!

        Vou ficar aguardando a receita então…

        Valeu!

        Reply
        1. Fabrizio Guzzon Post author

          Daniel,

          Não vou lembrar exatamente das medidas, mas era:
          Manga
          Maça
          Açúcar mascavo
          gengibre
          canela em pau
          cravo
          vinagre de maça
          pimenta rosa moida
          pimenta preta moide
          dedo moça sem semente picado
          pimente cayena.
          um pouco de água

          leva ao fogo e deixa apurar

          Reply
          1. Daniel Córdova

            Que legal, valeu!
            Andei dando uma pesquisada e a base é parecida, só que nessa aí vai bem mais pimenta, o que pra mim só vejo vantagens hehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*