Ale, Cider ou Mead, como vamos chamar essa dádiva? – Parte 2

By | 10 de junho de 2014

Muito antes do termo Ale ser usado pelos Anglo-Saxões, os mesmos se referiam a um a uma bebida chamada Beór!

Ilustração do site da Mikkeller

Vikings

Como podem ver irei dar continuidade a origem das palavras para designar o pão líquido. Já sabemos que há uma certa variação das palavras conforme sua região mas poucas são diferentes e isso, principalmente, graças aos Celtas que foram os maiores responsáveis por difundir a bebida.

Real Ale

Cerveja Ale

Vamos desta vez abordar a origem do termo “Ale”, usado no inglês para designar um estilo de fermentação de cerveja e que na antiguidade também era referência a bebida. Somente com a popularização do termo em latim, foi adotado a palavra “Beer” na língua inglesa.

No caso da origem do termo Ale há um pouco mais de história para se contar e é o que acaba tornando tudo mais confuso. Para começar temos os seguintes possíveis sinônimos:

Ale – Ealu – Alu – Øl ou ÖlOlutBeór – Bjórr – Beer (Variações de dialetos Saxões e épocas da língua inglesa)

Alguns derivados de Olum, que significa amargo ou óleo, mas alguns historiadores acreditam que a palavra tenha origem de Altus, que significa acima/elevado, em referência ao levedo que era tido como sendo o milagre desconhecido, divino, provindo do céu.

Poema Alvissmál

Thor, sua filha e Alvíss

A palavra Ale é primeiramente citada em um poema do século 11 sobre os deuses nórdicos, no Alvíssmál: “öl heitir með mönnum, en með Ásum bjórr” – (Ale é como os homens a chamam, e Bjórr é como os Deuses a chamam).

O poema conta a história de como um anão, Alvíss (“All-wise” / Todo Sábio), que iria se casar com a filha de Thor, na ausência do mesmo, e com permissão de outros deuses que tomavam conta dela. Logo Thor ficou sabendo, bastante insatisfeito com tudo isso, retornou para evitar o acontecimento. Ardilosamente começou a fazer um monte de perguntar para o anão, que era muito sábio sobre todo tipo de ser existente. Assim manteve o ocupado até o Sol nascer e transformando o anão em pedra.

Em uma das perguntas de Thor, o anão se refere a sementes plantadas pelos homens, “bygg”, e as plantadas pelos Deuses, “barr”, que em inglês são Bigg e Bere, duas variações de malte.

Na sequência Thor lhe pergunta sobre a Ale (Öl) e o anão diz que o Bjórr conhecido pelos Deuses também é chamado de “A Espuma”, enquanto no inferno eles chamam a bebida de mjöðmead (Hidromel).

Com isso o poema faz uma alusão que Öl e Bjórr fossem duas bebidas diferentes, isto é, homens e deuses bebem coisas diferentes.

Cervejaria fazendo Hidromel

Hidromel da Rogue

Contudo, estudos históricos mostram que Beór e Bjórr tinha conotações diferentes em textos Anglo-Saxões, pois o Bjórr como vimos está ligado ao vinho de mel ou Hidromel e o Öl era algo mais fraco (logo a ligação ao homem).

Historiadores encontraram evidências de pequenos recipientes em túmulos pagãos de Anglo-Saxões no quais eles concluíram que o Beór fosse provavelmente a fermentação de suco de maça ou da própria fruta, como conhecemos a cidra / sidra (cider / sidre).

Porém o estranho é o desaparecimento repentino da palavra Beór e a substituição pelo sidre, acredita-se que foi pelo domínio de Guilherme o Conquistador que institui uma nova língua e pela semelhança ao dialeto da palavra cidra que é bère.

Fermentado na Maça

Cidra

Cidra por sua vez tem a origem de uma mistura do Latim e Grego, provindo do Hebreu Shekhar, que significa “qualquer bebida alcoólica forte”, uma variação de Shakar que é “beber para valer” e a palavra Yiddish (Israel) para “ficar bêbado” é Shiker.

Esta palavra é relativa a uma antiga usada na Babylonia 4.000 anos atrás, a šikarum, que se referia a cerveja e outra Arábica, sokara que significa “qualquer coisa intoxicante”.

Contudo não há nenhuma conclusão que Beór realmente fosse relativo a cidra, porém Ælfric um abade que escreveu a João Batista, também relatou a bebida como sendo algo diferente das demais e a descreveu como sendo feito por frutos.

Todos esses casos são baseados em traduções de textos de várias línguas antigas perdidas, para o inglês antigo que em parte também foi perdido e por isso tem muitas falhas. O texto de hoje foi só para mostrar mais um pouco de quantas vertentes há em uma só palavra e como será difícil definir uma origem para Ale, na próxima vez que eu abordar o assunto. Também constatamos que não é só historicamente que as 3 bebidas datam como sendo as mais antigas mas sua menção é difundida em histórias, chegando a não poder ser mais diferenciada umas das outras.

Fonte: Zythophile e Larousse da Cerveja (Hoje especialmente do Zythophile que continha essa história incrível que eu precisava traduzir e adaptar para vocês).

13 thoughts on “Ale, Cider ou Mead, como vamos chamar essa dádiva? – Parte 2

  1. Pingback: Estilos e Famílias, a verdade não absoluta! - BeerCast Brasil

  2. Anselmo Mendo

    Muito bom Luquita! Fiquei também bastante confuso no meio da história, mas deu pra entender aonde você quis chegar.
    E me surpreendi com a foto que você postou, não sabia que existia Hidromel da Rogue! Mas não é heresia bebê-lo no copo da Chimay?!?

    Reply
    1. Lucas Zurwellen Post author

      Acabei de ouvir o podcast e imagino aonde vc quer chegar com a questão do copo rs… Esse hidromel da Rogue tem inclusive no EAP mas ele é mais meio caminho de cerveja e hidromel ou Cervejomel.

      Reply
  3. Daniel Córdova

    Nossa, muito bom o artigo.

    Confesso que fico meio perdido em meio a tantos termos de tantas línguas distintas, mas acho que o objetivo do texto foi alcançado: realmente é difícil definir a origem da palavra Ale.

    Fiquei intrigado agora imaginando Thor, Beowulf e outros vikings tomando cerveja ao invés do hidromel, que é como sempre vemos nas histórias.

    Abraço

    Reply
    1. Lucas Zurwellen Post author

      Daniel valeu por curtir sempre a coluna de nerdices e se você lendo ficou confuso, imagina como eu fico para conseguir tentar colocar de forma que fique menos complicado possível. Rs…

      Reply
  4. Vinicius Rodrigues

    Ótimo texto, realmente tem muitas origens malucas.

    Mas o importante é que agora está abordando meus deuses hahaha
    E aqui são os anões que viram pedra ao toque do sol… não os trolls

    Mestre Tolkien saberia a origem exata da palavra T_T

    Abraço Lucas, continue com ótimo trabalho

    Reply
  5. Fabrizio Guzzon

    Fala Luquita,
    Ótimo artigo, acho muito interessante o estudo etimologico das palavras, ainda mais sendo uma referente a cerveja… rsrs
    E com tantos significados, temos material de sobra para uma camiseta que fala sobre cerveja e ninguem entende… rsrs
    Abç
    Guzzon

    Reply
        1. Fabrizio Guzzon

          Haha… quero ver como vai ficar, se ficar legal pode produzir e a gente não cobra os royalties… rsrs

          Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*