IPAs Inglesas – Beercast #260

By | 16 de Maio de 2018
IPAs Inglesas – Beercast #260

IPAs Inglesas – Beercast #260

Para o episódio de hoje, Felipe Silva e Guzzon trouxeram de volta as clássicas IPAs inglesas para a mesa do Beercast.

Confira como foi esse bate-papo.

Comentados durante o episódio:

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

BeerGifts

Trilha Sonora

  • Pink Floyd – Shine on You Crazy Diamond
  • Pink Floyd – Have a Cigar
  • Pink Floyd – Welcome to the Machine
  • Pink Floyd – Wish You Were Here

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (44:37 de duração)

5 thoughts on “IPAs Inglesas – Beercast #260

  1. ANDRE REINALDO NOVGORODCEV JUNIOR

    Rica, estou aqui rezando pela saúde do seu filho! Espero que vocês já estejam em casa neste momento.

    Estacou ouvindo o programa enquanto fazia comprar no mercado e encontrei um amigo que trabalha numa distribuidora de cervejas. Ele me confirmou mesmo que atualmente só trabalham com uma IPA nacional é que tem vendido pouco. Uma pena, eu particularmente prefiro cervejas onde o malte contra balanceia o amargor do lupulo e a maioria das American iPas o amargor sobressai muito.

    Abraços.

    Reply
  2. Fabrizio Guzzon

    Salve Galera

    Sempre é legal participar das gravações!
    Eu fiquei bastante surpreso com as informações… eu tenho visto muito gente escrevendo sobre a IndiaN Pale Ale e sempre achei que era cerveja usando cocar e pintura corporal a base de urucum…….. rsrsrsrs

    Mas toda essa mitologia é bem interessante, pelo menos do ponto de vista de construção de marca e marketing.

    Abç
    Guzzon

    Reply
  3. Daniel Córdova

    Fala pessoal

    Vou desabafar um negócio aqui: se eu escutar mais uma vez a historinha da IPA e das viagens pra Índia acho que eu surto hahahaha Por mais que seja a história mais conhecida, tem tudo pra ser um baita storytelling pra vender cerveja. “Nossa, que legal, pra Índia é? Então me vê uma dessas pra experimentar!”.

    Os ingleses já bebiam Pale Ale mais lupulada antes de começar a mandar pra Índia e as porters também iam pra lá e chegavam muito bem.
    Não que mais lúpulo e álcool não pudesse ajudar na viagem, mas qualquer pouco lúpulo na cerveja já é capaz de impedir ou diminuir bastante a atividade de bactérias que acidificam a cerveja.

    Ah! e os barris usados pra transportar cerveja tinham piche por dentro, pra que a madeira não passasse sabor pro líquido.

    Sobre termos muita american IPA no mercado e nos bares, é aonde estamos né. Tem muita gente ainda começando a beber cervejas diferentes e AIPAs são legais, são fáceis de sentir os aromas de frutas bem conhecidas por nós.
    Eu também deixei de beber bastante IPA. Inclusive nos EUA agora bebi poucas. Tenho ido muito nas sours e sempre gosto de uma boa stout. Tenho dado preferência a coisas com menos álcool, no máximo 6%. Deixo as mais pesadas pra beber em casa.

    E força pro Rica e pra família. Vai dar tudo certo!

    Abraço!

    Reply
    1. Felipe Silva

      Acho que foi interessante fazer menção ao livro do Garrett Oliver, porque há elementos mais concretos. Nomes, datas, locais, etc.

      A história faz sentido, especialmente, no tocante à popularização e sucesso comercial.

      Outra coisa é dizer que o estilo surgiu de uma forma ou de outra. Creio que é impossível fazer afirmações de origem específica de qualquer estilo, atribuindo a uma pessoa sua criação.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*