Lei Seca – Beercast #263

By | 6 de junho de 2018
Cervejas Peruanas com Marcelo Moretti – Beercast #262

Lei Seca – Beercast #263

Anselmo, Gustavo, Felipe, Luquita e Marcelo contam as experiências e o que foi a Lei Seca.

Confira como foi esse bate-papo.

Comentados durante o episódio:

BeerGifts

Trilha Sonora

  • Alegria, alegria
  • Apesar de Você – Chico Buarque
  • Caetano Veloso e Os Mutantes – É proibido proibir
  • Jorge Maravilha – Chico Buarque
  • Chico Buarque & Milton Nascimento – Cálice
  • Elis Regina – O Bêbado e o Equilibrista
  • Geraldo Vandré – Pra não dizer que eu não falei das flores

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (44:52 de duração)

6 thoughts on “Lei Seca – Beercast #263

  1. André Frank

    Fala pessoal!

    Mais um belo programa, com curiosidades e dicas (já coloquei o documentário na lista).

    Como dito pelo Guzzon, não fosse a lei seca talvez tivéssemos outra cultura cervejeira talvez sem que american lagers fossem criadas…

    Cuuriosidades:
    – Apesar de ser o país que tem em sua constituição a defesa da liberdade individual, você nos EUA não pode causar mal a você mesmo, portanto se o salva vidas coloca a placa vermelha de evacuação (Thunder Storm) e você fica na praia, você pode ser preso…

    – As leis nos EUA são estaduais e no Estado do Novo México o consumo de álcool é muito controlado. Segundo a pessoa que me recebeu era um dos Estados com mais acidentes e mortes por conta disso. Para ter ideia, fui num show do Gipsy Kings e ao entrar você ganhava uma pulseira com 3 quadrados. Ao comprar uma cerveja o cara do caixa riscava um quadrado e esgotados os três só água, refrigerante e chá gelado…

    abs

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Legal, André. Valeu pelas curiosidades. Não sei se fico mais surpreso com o rigor da lei ou com o fato de você ter assistido a um show do Gipsy Kings no Novo México 😀
      A série da Netflix vale a pena mesmo.
      Abração!

      Reply
  2. Daniel Córdova

    Fala, pessoal!

    Ouvi o programa ontem e tinha coisas a dizer, mas não consegui vir aqui comentar e agora esqueci hahaha

    Mas o episódio foi bem legal.

    Abraço!

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Valeu Córdova. E parabéns novamente pelas medalhas!
      Perda de memória é algo que atrapalha a vida da gente, li não lembro onde…
      😀
      Abs!

      Reply
  3. Fabrizio Guzzon

    Salve galera

    O programa foi bem (i)legal, o tema tem conteúdo para no mínimo mais um programa…

    Sobre as cervejas sem álcool, tem algumas como a Nanny State que escrevi na minha coluna um tempo atrás, que são cervejas sem álcool tão saborosas quanto as alcoólicas. E o processo das grandes cervejarias usa osmose reversa, para retirar o álcool da cerveja sem precisa inibir a fermentação até o final, assim a cerveja não fica com aquele jeito de ‘choca’, e o álcool pode ser reaproveitado para destilados.

    As afirmações da tal Liga da Temperança são fantásticas…. será que o termo “ficar de fogo” vem dessa história que bêbado é inflamável? E essa história de retenção de líquidos nos tecidos internos é o clássico ‘pé inchado’…

    Um outro ponto sobre a aceitação das American Light Lager é que, além de muitas pessoas só terem ela como referência, muita gente estava com o paladar adaptado para as bebidas legalizadas que eram basicamente os refrigerantes, então os grandes produtores buscaram criar as cervejas com características sensórias mais próximas aos refrigerantes, ou seja…. pouco aroma, pouco sabor, leves e muito refrescantes.

    E pensando em um contrafactual ‘E se não houvesse a lei seca”…. eu imagino que a produção artesanal teria rampado muito antes, e muito provavelmente esta cultura já teria impactado outros países muito antes também, e por conta disto é provável que o Brasil estivesse mais avançado e maduro nas cervejas artesanais.

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      “Ficar de Fogo”! Não tinha pensado nisso, faz sentido Guzzon
      Acho que o mercado americano e, consequentemente, mundial seria bem diferente com relação a cerveja se não houvesse a Lei Seca mesmo.
      Abração!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*