Cervejas do Uruguai – BeerCast #194

By | 25 de janeiro de 2017
Cervejas do Uruguai – BeerCast #194

Cervejas do Uruguai – BeerCast #194

Para o episódio de hoje, Anselmo Mendo trouxe um pouco das Cervejas do Uruguai para a mesa do Beercast.

Confira como foi esse bate-papo.

Cerveja Mastra

Cervejaria: Cervecería Artesanal del Uruguay
Estilo: Strong Scotch Ale
Álcool (%): 6.2% ABV
Temperatura: 8 a 12º C
Copo Ideal: Tulipa

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Cero a la izquierda – No Te Va Gustar
  • Cero a la izquierda – Tus Manos Pueden Salvar
  • Paquita la del barrio – cero a la izquierda
  • Carlos Gardel – [01] Mi Buenos Aires Querido
  • Carlos Gardel – [02] Melodia de Arrabal
  • Carlos Gardel – [03] Leguizamo Solo
  • Carlos Gardel – [05] Silencio
  • Carlos Gardel – [06] Golondrinas
  • Carlos Gardel – [07] Por Una Cabeza
  • Carlos Gardel – [08] Sus Ojos Se Cerraron
  • Carlos Gardel – [09] Volver
  • Carlos Gardel – [10] Rubias de New York
  • Carlos Gardel – [11] El Dia Que Me Quieras
  • Carlos Gardel – [12] Cuesta Abajo

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (45:01 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

10 thoughts on “Cervejas do Uruguai – BeerCast #194

  1. Mauro de Souza Lima Prates Junior

    Estive em Foz em Dezembro. Fui a Argentina e ao Paraguai também. Em Foz conheci um bar, Cervejário, encontrei muita coisa boa #ficaadica. Na Argentina acabei por conhecer a Otro Mundo, boa, e a Patagônia, que apesar de encontrar aqui, ainda não havia provado. Conheci também outras mais populares como a Stout da Quilmes, terrível, e a Santa Fé, uma Kaiser argentina. Além de tomar uma Quilmes Lager comum, nada demais. Mas no Paraguai, na Casa China, encontrei a uruguaia Volcanica, citada no programa. Trouxe quatro tipos. Belgian IPA, Dubbel, Belgian Dark Ale e Belgian Blonde Ale. Não sei não. Não sei se pelas porradas da viajem ou quê, mas não curti muito. Sem muito corpo e aroma… mas valeu a experiência. Como citado no programa, deve mesmo ser proposital, para iniciar essa onde das cervejas artesanais. As músicas iniciais escolhidas pelo Anselmo são muito ruins kkkk, no fim o Carlos Gardel apareceu pra salvar. Abraços

    Reply
  2. Mauro de Souza Lima Prates Junior

    Estive em Foz em Dezembro. Fui a Argentina e ao Paraguai também. Em Foz conheci um bar, Cervejário, encontrei muita coisa boa #ficaadica. Na Argentina acabei por conhecer a Otro Mundo, boa, e a Patagônia, que apesar de encontrar aqui, ainda não havia provado. Conheci também outras mais populares como a Stout da Quilmes, terrível, e a Santa Fé, uma Kaiser argentina. Além de tomar uma Quilmes Lager comum, nada demais. Mas no Paraguai, na Casa China, encontrei a uruguaia Volcanica, citada no programa. Trouxe quatro tipos. Belgian IPA, Dubbel, Belgian Dark Ale e Belgian Blonde Ale. Não sei não. Não sei se pelas porradas da viajem ou quê, mas não curti muito. Sem muito corpo e aroma… mas valeu a experiência. Como citado no programa, deve mesmo ser proposital, para iniciar essa onde das cervejas artesanais. As músicas iniciais escolhidas pelo Anselmo são muito ruins kkkk, no fim o Carlos Gardel apareceu pra salvar. Abraços

    Reply
  3. Talyta Nicolau

    Oi pessoal! Adorei ouvir as experiências do Anselmo em Montevidéu, estive em Buenos Aires no ano passado, e me arrependi de não ter dado uma esticadinha em Montevidéu
    Em Buenos Aires tomei muita cerveja de litrão no fim da viagem, pra economizar o restinho de dinheiro hahahah
    Nos bares e restaurantes sempre se acha muita Imperial, as cervejas deles são todas muito boas, principalmente pelo custo beneficio, bem melhores que Quilmes ou Stella (que também acha fácil litrão em qualquer lugar). Mas em termo de qualidade, também é fácil encontrar a Patagônia, mas o preço em restaurantes não é tão diferente dos preços que se encontra aqui do Brasil
    Mas acabei não indo em cervejarias, só visitei a Antares, que é uma cervejaria bem no estilão de pub, o pessoal vai mais pra encher a cara com os amigos e bater um papo, e eles tem vários rotulos proprios on tap, com várias cervejas fixas, além de 2 cervejas sasonais que variam de tempos em tempos. Recomendo muito pra quem estiver viajando por lá.
    Abraços

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Oi Talyta, obrigado! Montevidéu vale a pena mesmo e casar com uma visita a Buenos Aires é uma boa combinação. Já várias vezes me indicaram o Antares como um bom Pub. Quando fui para a Argentina, ainda não me ligava em cervejas artesanais, uma pena. Muito obrigado por escrever aqui, apareça sempre! Abraços

      Reply
  4. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!

    Bom programa, e saber que vocês estão gravando via skype é um termômetro de como esta a correria por ai… rsrs

    Eu fui para punta cana uma vez, mas foi somente uma tarde…. nem rolou comprar cerveja. Mas foi lá que comprei meu chapéu Panamá.

    E um ponto que o Anselmo comentou que achei muito interessante é ver que mesmo com um mercado mais conservador de cervejas artesanais, o Uruguai tem uma visão bem diferente da nossa, prezando por estilos ingleses (que me agradam muito) ao invés da febre de estilos americanos e IPAs que vemos por aqui.

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      República Dominicana, também preciso conhecer, Guzzon. O meu chapéu panamá comprei no Equador (a gente encontra mais nesses países que no Panamá :D). É isso mesmo, a impressão que fiquei é que no Uruguai são mais conservadores, o que em muitos aspectos é bom! Abração.

      Reply
  5. Daniel Córdova

    Fala pessoal!

    Ouvi o programa ontem, mas não consegui vir aqui comentar. Pelo jeito as coisas estão corridas, mas espero que logo logo todos consigam se reunir em algum bar legal pra não precisar ficar nessa de skype hehe

    De qualquer forma foi bem legal ouvir as experiências do Anselmo em Montevideo.

    Fiquei lá por 2 dias e 2 noites e não consegui fazer tudo o que ele comentou, até porque era fim de semana. Muita coisa estava fechada, choveu um pouco e ventou muito.

    Recomendo passear na rambla, o shopping de punta carretas, a Plaza Independencia (acho que é nela que tem o prédio antigo que foi comentado), o Centro Gastronomico (na frente do terminal de Buquebus que leva a Buenos Aires), entre outras coisas.

    Fiquei hospedado no Hotel California. Recomendo, bom hotel.

    Acabei experimentando grande parte das cervejas que o Anselmo comentou (Mastra, Cabesas e Bizarra são as que eu lembro agora), mas a maioria delas comprada em Rivera no Duty Free. Boas, mas nada que explodisse minha cabeça.

    Quando fomos num pub da Mastra em Colonia Del Sacramento peguei a tábua para provar várias e nela tinha a cerveja do episódio. Dei 3,5 tampinhas pra ela, segundo meu Untappd.

    Também tive essa sensação de que deve ser bom morar em Montevideo, mas onde realmente eu quis parar de vez foi em Colonia del Sacramento. Recomendo muito a visita.

    E, além do chivito (o mega sanduíche cheio de coisas), não deixem de comer um bom entrecote, a especialidade dos uruguaios.

    Abraço!

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Muito bom Córdova. Montevidéu é uma cidade que vale mesmo a visita de alguns dias. Infelizmente não conseguimos ir para Colonia Del Sacramento, todo mundo fala que é lindo. Punta Del Leste vale especialmente pela Casa Pueblo, eu acho. Mas o mais legal são os uruguaios, conhecemos muita gente simpática. Tá vendo, você não fez post mas deu uma descrição legal aí 😀 Abração!

      Reply
  6. Rodrigo Sippel

    Primeira vez que ouço o cast de vocês. Gostei da proposta.
    Ocasionalmente viajo para o Uruguay e acho que faltou citar a Zillertal, depois da Pilsen (que também não foi citada), são as cervejas mais consumidas pela população local. São rótulos comerciais, mas a Zillertal em particular, é uma cerveja um tanto mais amarga que suas “concorrentes” diretas.
    Parabéns pelo programa.

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Bem-vindo, Rodrigo. Se gosta de cerveja artesanal, tem bastante coisa legal, modéstia a parte, pra ouvir aqui no Beercast :D. Você tem razão, não comentei sobre a Zillertal (não lembrava o nome e fiquei sem graça de falar errado) e esqueci completamente da Pilsen (todo país tem uma com esse nome, assim como Cristal, maior falta de criatividade). Mas dá pra ver bastante dessas brejas nas mesas dos bares por lá. Obrigado pelos comentários e volte sempre.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*