Cerveja Y-Iara Pilsen da Cervejaria Nacional – Beercast 121

By | 2 de setembro de 2015
Cerveja Y-Iara Pilsen da Cervejaria Nacional – Beercast 121

Cerveja Y-Iara Pilsen da Cervejaria Nacional – Beercast 121

Para o episódio de hoje, Anselmo Mendo trouxe a Y-Iara, uma cerveja pilsen “sedutora como o canto da sereia”, como diz o slogan.

Confira o bate-papo regado a cerveja.

Cerveja Y-Iara Pilsen

Cervejaria: Cervejaria Nacional
Estilo: German Pilsner
Álcool (%): 5% ABV
Temperatura: 0-4 °C
Copo Ideal: Pilsner
Preço Varejo: R$11,99 (310 ml)
Preço com nosso cupom 15%: R$10,19 (310 ml)

botao-comprar-cerveja

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Links comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Zé Ramalho – Mistério da Meia-Noite
  • Zé Ramalho – De Gosto, de Água e de Amigos
  • Zé Ramalho – Desejo de Mouro
  • Zé Ramalho – Mestiça
  • Zé Ramalho – Sensações Brancas
  • Zé Ramalho – Absurdo Blues
  • Zé Ramalho – Forrobodó
  • Zé Ramalho – Martelo dos 30 Anos
  • Zé Ramalho – Chuva Pesada
  • Zé Ramalho – Um Corpo Que Sai
  • Zé Ramalho – Paralelas
  • Zé Ramalho – Oh! Pecador
  • Sitio do Picapau Amarelo – Tema de Abertura

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (48:12 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

21 thoughts on “Cerveja Y-Iara Pilsen da Cervejaria Nacional – Beercast 121

  1. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!
    As cervejas da Nacional são ótimas… a Mula é fantástica e as sazonais sempre surpreendem.
    E é uma referencia como brewpub em SP, já foi local de alguns encontros da confraria e sempre somos bem atendidos.
    E o Guilherme, o mestre cervejeiro, também é formado Sommelier de cerveja pelo Instituto da cerveja, mais especificamente na 8ª turma. Uma turma que gerou ótimos Sommeliers por sinal.

    Abç
    Guzzon

    Reply
      1. Fabrizio Guzzon

        Daniel, foi sim…. rsrsrs
        Mas tinha tbm o Gil Lebre, o pessoal da Suméria, da Noturna, da Hoffen… era uma turma bem bacana, mesclada de mestres cervejeiros e bebedores.

        Reply
  2. Eduardo Cabrini

    Fala galera do Beercast Brasil! Mais um ótimo podcast! Achei bacana vocês comentarem a questão das Pilsens e da importância de provar diferentes estilos sempre. Entrei neste mundo cervejeiro profundamente há menos de um ano e de cara me apaixonei pelas IPAs. É meu estilo preferido, mas não abri mão de provar outros estilos. A primeira vez que provei uma cerveja belga, estranhei. Mas também comecei com a Radieuse da Leffe. Fui insistente e aprendi a apreciar os estilos do país que nos apresentou ao Diabo! Sobre as Pilsens, acredito que seja difícil explicar a diferença delas para quem sempre bebeu standart lagers rotuladas como Pilsens. Eu mesmo ainda não entendi. ..rs…Acredito que a diferença seja muito sutil (um pouco mais de IBUs e corpo para resumir), mas após degustar algumas Pilsens verdeiras nã há como não entender! Principalmente com relação à nossas “milhagers”. E não estou de mimimilho não, hein!
    Abraços a todos aí! Direto de Araraquara SP.

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Obrigado Eduardo! É, acho que a palavra chave é insistência (horas copo) pra gente conseguir determinar o que gostamos e o que realmente não apreciamos nos estilos. Acho que o lance das Pilsens é esse mesmo, mais lúpulo e mais corpo. Abração direto aí pra Araraquara.

      Reply
  3. Luquita da Cerveja

    Fala galera,

    Boas infos sobre Brewpub, espero que o Bruno traga mais coisas pois sempre vejo pessoas perguntando em que formato deveriam investir e eu digo o Brewpub mas ainda tenho a pulga atrás da orelha em relação a legalidade, pq ser taxado de indústria não rola.

    Enfim vocês realmente deveriam oferecer mercham qdo fazem um programa assim, gravar na Nacional, tomar umas por conta da casa… já estaria tudo valendo rs.

    Não lembro exatamente da Pilsen deles mas todas são no mínimo boas, então 3 tampinhas e uma amassada rs.

    Ah e sobre a questão de Trigo, repito… palavras do mestre Jaime… trigo não traz características de sabor e aroma para a cerveja, rs. Bom não foram exatamente essas as palavras que ele utilizou para falar do trigo rs.

    Abraços

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Luquita, precisaríamos mesmo de um cara que entendesse bem das questões legais pra poder explicar sobre a burocracia para abrir um brewpub. Quanto ao merchan, nem sempre é simples. Tem tanto picareta por aí pedindo cerveja grátis pros caras só porque tem um blog que todo mundo fica desconfiado.
      Conversei uma vez com o seu amigo da Ideal. Intermedeia lá um especial com eles? 😀 Abração!

      Reply
  4. André Luís

    Parabéns pelo episódio, achei muito bacana, com dicas bacanas de brewpubs e dessa cervejaria Nacional. Agora começa minha procura por essa cervejinha aqui no Rio de Janeiro…

    Gostaria de deixar aqui um pequeno comentário: na minha muito pessoal opinião, achei que os episódios anteriores ficaram mais arrastados, desinteressantes até, acho legal uma entrevista ou outra, mas eu me interesso muito mais por conhecer novas cervejas, saber da opinião de cada um de vocês, a forma como conversam é sempre interessante, animada e informal, isso é muito bacana. Prefiro ouvir seus programas quando falam sobre as cervejas, mas nem tanto sobre as pessoas ligadas a esse mercado.

    Espero que esse texto não seja entendido como crítica, mas apenas como uma percepção pessoal.

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      André, muito obrigado pelo contato. Comentários como o seu são muito úteis pra nós. Entendo perfeitamente sua opinião e sabemos que cada um dos formatos que utilizamos agrada mais um do que outros. Recebemos aqui várias mensagens de cervejeiros caseiros que pedem, por exemplo, mais matérias sobre produção de cerveja. Alguns ouvintes dizem que não se interessam tanto por degustações e curtem mais histórias e informações sobre o mercado cervejeiro. O que a gente tenta é equilibrar para atender todos os gostos. Estamos projetando agora, mesmo nas entrevistas, dar mais atenção a cerveja tema do programa e envolver mais o convidado com ela. A ideia é sempre melhorar a qualidade. Mais uma vez, valeu! E fique a vontade para mandar suas críticas e sugestões.

      Reply
  5. Daniel Córdova

    Fala pessoal!
    Muito boas as informações no episódio de hoje e a discussão sobre brewpubs casou bem com a coluna do Luís de ontem.
    Ainda não tomei essa da Nacional, só a Sa’si e dei 3 estrelas pra ela.

    Algumas dicas de Brewpubs aqui em SC:
    The Liffey Brew Pub – Passeio Pedra Branca, Palhoça (Grande Florianópolis)
    Cervejaria Faixa Preta – BR 282 (não sei o número), Santo Amaro da Imperatriz (Grande Florianópolis)
    Wunderbier, Container e Oktobier (essa ainda não provei) em Blumenau.
    Das Bier em Gaspar, cidade vizinha à Blumenau (tem também um bar deles no Shopping Park Europeu em Blumenau).

    Uma dúvida: bares que vendem somente a sua cerveja própria, porém fabricam em outro lugar, são considerados brewpubs? Acho que não né. Mas de qualquer forma aqui em Floripa tem a Sambaqui (bairros Santo Antonio de Lisboa e Santa Mônica), o Cozalinda (bairro Coqueiros) e em Jaraguá do Sul tem os meus amigos do Stannis no calçadão da cidade.

    O bar da Eisenbahn em Blumenau acho que já entra na categoria “bar da fábrica” na minha opinião e aí temos na cidade também a Bierland, cuja Vienna Lager acho sensacional! E pra não dizer que não falei das flores, em Pomerode tem o bar da Schornstein.

    Valeu!

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Boas dicas Daniel! Eu acho que bares que não fabricam no local a própria cerveja não poderiam ser chamados de brewpubs. Mas é uma dúvida, vamos consultar nossos advogados. Abração!

      Reply
  6. Renato Martins

    É só eu não participar que vira bagunça… como vocês não falaram do PENEDON!!!!!!!!!!!!!!!!?????????!!! Desculpas ao nosso amigo Sérgio! hehe

    Abs.

    Reply
  7. Marcelo Maciel

    Vou sugerir mais alguns BrewPubs de Belo Horizonte.
    – Villa Adriana, na Rua Piumhí, Bairro Carmo, Belo Horizonte produz lá a Cerveja Mangifera IPA e Double IPA, entre outras. As mesmas cervejas são produzidas como cervejaria cigana em Contagem para vender engarrafado em lojas e como chopp para outros estabelecimentos e eventos.
    – Templo Cervejeiro da Backer, no bairro Olhos D’Água, Belo Horizonte fica anexo à cervejaria e é um espetáculo, vendendo em chopp toda as linhas da cervejaria (3 Lobos, Las Mafiosas e Backer).

    Uma coisa interessante os 2 estabelecimentos tem preços especiais para encher o Growler e levar o chopp pra casa.

    Abraços,

    Marcelo Maciel

    Reply
  8. Tiago Lima

    Meus queridos, dêem uma olhadinha no feed rss. Esse episódio não apareceu no agregador que uso (Player FM) e ao tentar abrir o xml pelo browser recebi um aviso referente a um caractere inexistente na codificação atual (UTF-8) na linha 58.

    Desculpem pelo tecniquês chato…
    Abraços.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*