Cerveja Sixpoint Resin – Beercast 103

By | 29 de Abril de 2015
Cerveja Sixpoint Resin – Beercast 103

Cerveja Sixpoint Resin – Beercast 103

Para o episódio de hoje, Rica Shimoishi escolheu uma cerveja do Brooklyn, New York, para sentirmos os extremos que estilos americanos podem oferecer.

Trata-se de um rótulo da Sixpoint que se destaca pela agressividade de suas porradas de lúpulo.

Confira nosso bate-papo.

Cerveja Sixpoint Resin

Cervejaria: Sixpoint Craft Ales
Estilo: Imperial / Double IPA
Álcool (%): 9.1% ABV
Temperatura: 8-12 °C
Copo Ideal: Pint
Preço Varejo: R$22,99 (355 ml)

botao-comprar-cerveja (utilize o cupom: BEERCAST para 15% de desconto!)

Links comentados durante o episódio:

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Links comentados BeerNews e leitura de e-mails:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Beastie Boys – No Sleep Till Brooklyn
  • Beastie Boys – Sure Shot
  • Beastie Boys – Tough Guy
  • Beastie Boys – B-Boys Makin’ With The Freak Freak
  • Beastie Boys – Bobo On The Corner
  • Beastie Boys – Root Down
  • Beastie Boys – Sabotage
  • Beastie Boys – Get It Together
  • Beastie Boys – Sabrosa
  • Beastie Boys – The Update
  • Beastie Boys – Futterman’s Rule
  • Beastie Boys – Alright Hear This
  • Beastie Boys – Eugene’s Lament
  • Beastie Boys – Flute Loop
  • Beastie Boys – Do It

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (42:33 de duração)

Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

33 thoughts on “Cerveja Sixpoint Resin – Beercast 103

  1. Eduardo Martins

    Boa tarde a todos!!! Acabo de conhecer o podcast e já quero escutar a “saga” toda, desde o principio. Ouvi o BeerCast 103 e achei muito bom. E o bacana é que os comentários da galera contém muita informação também. Parabéns!!!!!!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala, Edu.

      Muito bom. Obrigado pelos elogios. A Galera é muito participativa e realmente sempre ajudam a enriquecer nossas publicações. Por isso o podcast não acaba quando termina o áudio. Ele sempre está aberto a complementos através dos comentários no blog. O que deixa o episódio constantemente mais interessante.

      Forte Abraço!

      Reply
      1. Eduardo Martins

        E olha a coincidência: ontem fui para casa ouvindo o primeiro episódio que foi sobre a Duff, e alguém falou que foi gravado dia 05/05/2013, exatos dois anos atrás!!!!!! Então parabéns pelos 2 anos de podcast!!!! Abraço do mais novo ouvinte assíduo.

        Reply
        1. Ricardo Shimoishi

          hahaha… Putz! Vc conseguiu ouvir o episódio #zero?! Parabéns!!! kkkkkkk
          Obrigado! Sim a gente já está na estrada há 2 anos. E essa semana *hoje* era pra sair o episódio de aniversário.
          Ué?! kd??

          Abração!!

          Reply
  2. Fabrizio Guzzon

    Salve Galera!
    Ótimo programa, a Six Point é uma tremenda cerveja, já provei e ela é uma sintese do que é o estilo americano…. excessivo em praticamente tudo, vale muito a pena provar.
    E a série single malt da Brewdog é fantástica, até para quem não é cervejeiro é possivel notar algumas diferenças.

    E uma pergunta… o contrato do Gustvo em 2015 é somente para leitura de e-mails?

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      kkkkkkkkk….

      É q o Gustavo cobra por job. E como está muito caro, resolvemos deixar o cara na geladeira. E sem cerveja. 😀

      Realmente essa cerveja tem o espírito do “sempre mais” das cerveja americanas. Ótima representante!

      Abraço, Guzzon!

      Reply
  3. Daniel Córdova

    Fala galera!
    Muito legal o programa, dei bastante risada.

    To doido pra experimentar essa cerveja de tanto que o Rica posta no facebook tomando ela hehe kkkk rsrsrs lol huehuehue.

    Tomei da Sixpoint só a Belgali lá no Delirium Café de SP também e gostei.

    Confesso que tenho uma aversão às latinhas. Não por causa de pressão nem nada, mas por serem de alumínio. Eu fujo de alumínio o máximo que posso, sou meio pirado nisso.

    Sei que as latas tem resina por dentro, mas isso pra mim não adianta. E sei também que a latinha mantém melhor as propriedades da cerveja, por evitar contato com luz e oxigenação. Ainda prefiro a garrafa.
    Vou esperar a coluna do Luquita e quem sabe eu mude de opinião.

    Eu tinha um IPA glass, da loja do “Sr. cerveja”, mas quebrou antes mesmo de eu usar. Fui lavar e quebrou só de enfiar a esponja dentro dele. Vou ficar com meus Pints robustos… o da Anchor mesmo tem quase 1 cm de espessura de vidro, é bem parrudo.

    Valeu!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      hahaha, huahuahua, kkkkk…

      Vc tá querendo dizer que eu sou a p…. da Resin?!
      Mais ou menos, mais ou menos… Essa é uma cerveja que me encantou no primeiro gole.

      Tb tenho uma certa cisma com as cervejas de latinha. Mas as da Sixpoint são realmente imperdíveis.

      Nossa, Q droga! O copo quebrar antes de usar… aiai…
      Mas essa do copo ser parrudo é meio relativo. O Anselmo conseguiu quebrar o copo da Hoegaarden…

      Parabéns pelo seu post! Ficou bom pra caramba!

      Abraços!!

      Reply
      1. Daniel Córdova

        Valeu, Rica! Que bom que gostou do post.

        E quebrar copo de Hoegaarden não é pra qualquer um não hehe

        Abraço

        Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala Afonso!

      Olha que informação bacana! Só pode sair coisa boa daí!

      Gosto muito das cervas de ambas. E Imperial Stout é um estilo que tenho apreciado muito!

      Abração!!

      Reply
  4. Luis Loureiro

    Com a vida corrida de uma segunda semana com feriado, não consegui comentar mais cedo! (Perdi já totalmente o jeito de ser o first!)
    Essa é uma daquelas cervejas que já vi vendendo, mas não conhecia ninguém que já tinha experimentado, aí fico naquela, vou ou não vou?
    Com certeza depois desse episódio eu vi que posso ir sem medo, e o melhor, me arriscar mais nas que aparecem nas prateleiras do mercado!
    A gente vai ficando mais velho e acaba se arriscando menos né? hehehehe
    Abração galera! Parabéns por mais um belo episódio!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala Luis!

      É verdade mesmo! vc perdeu o posto de first… 🙁
      Mas não deixe de comentar, q é o mais importante pra gente.

      Quanto a arriscar menos, eu acho que nem é da idade não. É q se a gente não tem referências, fica com medo de pagar um pouco mais caro numa cerva e depois não gostar.
      Tenho certeza de q da Resin, vc vai curtir. Vai fundo!

      Abração!

      Reply
  5. Derly de Lana Cordeiro

    Fala galera do Beercast!!!

    Como sempre um excelente programa. Já tinha visto essa breja em varias vezes, mas sempre tinha um medo de comprar ela e me arrepender.
    Com certeza da próxima vez que achar ela aqui em Belém vou comprar.

    Rica não achei o link da receita que você falou, fiquei muito afim de fazer ela aqui em casa.

    Ate a próxima quarta.

    Reply
  6. Luquita da Cerveja

    Fala galera programa simples e muito bom,

    Curiosidade sobre a Sixpoint é que um dos sócios atuais é meio Brasileiro, o Aaron, e ele era o tradutor oficial na passagem dos caras pelo Brasil.

    Quando eles vieram para cá, explicaram que o grande diferencial da Sixpoint era de fato o uso da lata, que nos EUA já não é um custo tão maior. Os caras defendem com unhas e dentes o uso da lata como sendo melhor para a cerveja e de fato muitos profissionais aqui no Brasil já concordam com isto, atualmente a lata é um recipiente melhor e aquela questão de mais ar nela não é verdade pois o mesmo é expurgado antes de ser selada. O famoso Tsss de abrir uma lata não é o de gás saindo mas sim do ar entrando, isto quando não se chacoalha a lata é lógico.

    A cena de uso de lata está crescendo, o Renato falou que é difícil de ver mas é só prestar atenção que até cervejarias tradicionais já estão se adaptando a ela.

    Da Sixpoint eu destaco a Common Ale deles, pois esse estilo é a American Lager na família das Ale e costuma ser bem sem graça mas a deles é ótima.

    Sobre o Braggot ser essa mistura interessante há um fato histórico, pois o nome é um daqueles casos de palavra antiga que era usado para designar uma bebida fermentada alcoólica que não se tem certeza se era Hidromel ou Cerveja, provavelmente ambas, e atualmente o nome é um estilo de Hidromel que é justamente essa mistura de mel e cevada.

    Sobre a palavra “Spice” ela não necessariamente é referência de algo ardido mas também é usado para se referir a condimentos em geral, como o lúpulo.

    Interessante sobre a Brew Dog é que os caras não lançaram só uma série de single hop mas também de single malt e single yeast.

    Agradeço muito o apoio de vocês e a compreensão de todos pela minha falta na coluna de nerdices, logo mais estou de volta pra trazer histórias interessantes dignas de serem citadas em locais fodas rs…

    Abraços

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Olhaí!

      Isso é praticamente um artigo! Um aperitivo para os mais ansiosos apaziguarem a necessidade de ler sua coluna!
      hahaha…

      Ótimo complemento, Luquita!
      Ficamos felizes por estar em sintonia com vc!

      Forte Abraço!

      Reply
  7. Flavio Yokooji

    Ainda não experimentei a Resin da Sixpoit, mas todas que provei, aprovei! Rs. Fato é que Imperial IPA é um dos meus estilos preferidos. Problema é que o drinkability das cervejas desse estilo não costuma ser o dos melhores.
    Não sei quem começou essa estória de single hop, mas eu ACHO que foi a Mikkeller. Realmente, é bem interessante. Gostei bastante da série single hop da BrewDog chamada “IPA is Dead” (todas IPAs) e eles lançaram uma nova versão esse ano que ainda não tive oportunidade de provar.
    Ah, eu tenho um IPA glass também. Não sinta-se sozinho Rica! kkk

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Faaaala, Flávio!

      hahaha…
      Pra um fã de Imperial IPA´s, um IPA Glass é gênero de primeira necessidade! Tem que ter!
      Tb gosto muito do estilo. Sobretudo quando o fabricante sabe deixar o “carinho” do dulçor acompanhar a porrada do lúpulo. É uma experiência muito legal beber essas brejas.
      A Mikkeller é uma cervejaria muito inovadora. Eu apostaria que foi ela sim quem inventou essa moda do Single Hop. Muito legal, por sinal!

      Abração!

      Reply
  8. Bruno Pontalti

    A primeira vez que provei as sixpoint elas me decepcionaram um pouco, não que as cervejas não sejam boas, mas eu sai do trabalho pensando na cerveja que ia comprar pra tomar no dia, e não tava no clima de nada muito lupulado, citrico e tal, ai parei na loja, vi as latinhas, peguei a cream ale e a german pilsener e não era nada do que eu esperava dos estilos, culpa minha de confiar nos americanos hehe, mas depois sem essa expectativa tomei outras vezes e são bem boas mesmo, a Resin ainda não tomei, mas já ta na lista!

    Po e valeu por falarem da cerveja, eu concordo com o Anselmo que a carbonatação poderia ter sido melhor mesmo, mas cerveja de graça sempre ganha umas tampinhas a mais né.
    sexta vou brassar uma red ale com laranja e cravo, quando estiver pronta mando pra vocês provarem.
    quanto a caixinha, ficou bem legal mesmo, foi um amigo que tem uma empresa de cartonagem que fez de presente pra mim, não sei se ele faria pra vender, vou perguntar.
    Abraço!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê, Bruno!

      É… Prá tomar essas cervejas, vc tem de estar com o espírito preparado mesmo. Pq elas podem assustar… hahaha..
      Muito obrigado pelas cervejas. Prá mim estavam no ponto. Inclusive na carbonatação. Muitas cervejas caseiras ficam faltando e algumas outras “explodem” na carbonatação, o que tb pode interferir negativamente na breja. A sua, pra mim, estavam no ponto. E estou realmente curioso pra ver como é uma Red Ale sua. Siga em frente pq vc tem muito talento.
      Quanto à caixinha, acho que seria uma boa ideia seu amigo investir nesse seguimento. Ia dar liga!

      Abração!

      Reply
  9. Vinicius Rodrigues

    Já ia começar a usar esse tal de iTunes pra buscar meu chopp.

    Eu não lembro desse dulçor na Resin, vou ter que tomar de novo (desculpa pra comprar mais cerveja mesmo com o armário cheio)

    Um dia eu entendo o que vocês vêem nessas cervejas de fermentação espontânea. Se eu faço minha caseira e dou um espirro no fermentador antes de fechar, o gosto fica igual, mas vão falar que a minha tá estragada…

    Ótimo programa galera, parabéns pelo trabalho.

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê Vinícus!

      É, Vini!
      A Resin tem um dulçor. Mas o amargo dela pode fazer confundir nossas sensações gustativas. E eu nem estou falando do Gustavo Passi…
      Mas falaí: Se vc espirra na sua cerveja que vai prá fermentação, nem vc ia ter coragem de beber, né??
      hahaha…

      Abração!

      Reply
      1. Vinicius Rodrigues

        Eu não ia ter coragem, mas iria espalhar que é uma sour e todo mundo ia beber… E elogiar ainda hahahaha

        Reply
  10. Rodrigo Batista Lopes

    A Cervejaria da Roleta Russa não chama Imigração não? Anunciação é o nome de uma cerveja da Tupiniquim

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê, Rodrigo!
      Tá certo mesmo. A bebedeira do Renato no Festival não permitiu que ele enxergasse o nome da Cervejaria direito… kkkk

      Obrigado por escrever!

      Abração!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*