Cerveja Karavelle Rock 89 FM Red Ale Hell – Beercast #66

Por | 13 de agosto de 2014
Cerveja Samichlaus Bier com o Luquita da Cerveja – Beercast #65

Cerveja Karavelle Rock 89 FM Red Ale Hell – Beercast #66

Apesar do mês do rock já ter passado, o Beercast resolveu falar um pouco mais sobre esse estilo musical tão apreciado pelos Beercasters, e pra isso, trouxemos mais uma cerveja da Karavelle, e dessa vez foi a Red Ale Hell.

Não perca esse episódio Rock’n Roll, ou nem tanto…

Cerveja Karavelle Rock 89 FM Red Ale Hell

Cervejaria: Cervejaria Karavelle
Estilo: English Red Ale
Álcool (%): 4,5% ABV
Temperatura: 4-7 °C
Copo Ideal: Pint / Caldereta

Links comentados durante o episódio:

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Links comentados BeerNews e leitura de emails:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Rock,  porra!!!!

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (43:27 de duração)

Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

39 comentários para “Cerveja Karavelle Rock 89 FM Red Ale Hell – Beercast #66

  1. Eduardo Aroeira

    Fala galera do Beer Cast! Não sei se vocês vão ver esse comentário, mas vamos la!
    Comecei a escutar o podcast de vocês em agosto desse ano, sempre indo e voltando do trabalho, e, após pouco mais de 2 meses, finalmente estou chegando no episódio da semana! Meu plano inicial era comentar pela primeira vez no primeiro episódio que eu ouvisse na semana certa, mas esse episódio me chamou a atenção. Vocês comentaram que escolheram essa cerveja por ser uma série de rock, mas tem uma muito melhor aqui em MG que se chama KUD Beer.
    Os caras são tão apaixonados por rock e cerveja que todas os estilos que eles lançam fazem referência a uma música de rock, e todos os equipamentos da fábrica deles são nomeados por uma banda de rock. Como sugestão para uma degustação, eu iria de Ruby Tuesday (ESB), Kashmir (IPA), Blackbird (Black IPA) e Smoke on the Water (Smoked Porter), mas todas as outras são excelentes! No mês passado aconteceu um festival de gastronomia aqui em BH chamado Beer Chef Brasil, e eles entraram no festival com um T-Bone sensacional com batatas rústicas hamonizado com a Kashmir. Esse prato vale a visita na fábrica!
    Por hoje é só! Gosto muito do podcast de vocês, e pretendo dar as 5 estrelas na Apple assim que chegar no último… vai que a qualidade cai até lá né… Abraços, e tchau!

    Responder
    1. Renato Martins Autor

      E ai Eduardo, pode deixar que olhamos todas as mensagens!

      Já conhecemos a KUD, inclusive no dia em que eles fizeram um lançamento de uma breja no EAP (aqui em SP) o Rica teve a oportunidade de conversar com o pessoal. Eu já provei algumas cervejas deles e realmente é espetacular!

      Acho que vale a visita em BH, pois tem muita coisa bacana pra conhecer pro ai hein?!

      Grande abraço!

      Responder
      1. Eduardo Aroeira

        Opa! Boas notícias essas rs
        Vale muito fazer uma visita em BH sim. Além das figurinhas marcadas (Wals, Falke e Backer), temos boas opções em crescimento, como as da Inconfidentes (Grimor, Vinil e Jambreiro) e outras em Nova Lima, como a Capa Preta.
        Na próxima semana teremos o Uaiktoberfest em Nova Lima. Fui ano passado, e achei top!
        Abraços!

        Responder
  2. Roberto Jr

    Aow cambada de cervejeiros…

    Não bebi uma “Rock Karavelle”, também confesso que não procurei muito não.
    Mas achei a “Karavelle Pilsen”, e gostei muito, pois é uma cerveja nacional com um sabor diferenciado. Ainda não me acho um “sommelier” de cerva, mas esta cerveja tem uns tons diferentes, quando se compara com marcas cervejas nacionais. Não achei ela mais alcoólica, mas achei ela mais forte no sabor…

    Como dizem ai nos cast na minha geladeira tem uma Karavelle IPA, que vou beber ela em breve….
    Caso alguém leia este comentário, dêem uma dica de algo para tira gosto… rssssss

    Enquanto estou escrevendo este comentário, estou bebendo uma Erdinger Drunkel, que estou gostando muito.
    Não vou comentar nada sobre essa, pois esta é uma das cervas mais iniciantes…

    Gostei do site e continuem no mesmo esquema.

    Abraços a todos cervejeiros!

    Responder
    1. Anselmo Mendo

      E aí Roberto, blz?
      Valeu por ouvir o programa. Dica de harmonização pra IPA Karavelle:
      Ostentação: Coxinha de Ossobuco do Bar da Karavelle.
      Pop: Salgadinho Torcida Pimenta Jalapeña.
      Abs!

      Responder
  3. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!
    Não sei por que, mas sempre que bebo uma Karavalle tenho a impressão que eles fazem cerveja para quem bebe as mainstream conseguir tomar uma especial sem fazer careta… e no fundo isso não é um erro, pra mim tem muito mais cara de plano de posicionamento da marca, criar uma marca “escada” que faz as pessoas quererem conhecer mais cervejas especiais.
    Como eu já conheço, não gosto tanto…. rsrsrsrs
    E como disse o Charles… comparar com a Baden Red Ale é sacanagem, ela esta entre uma Double Red e uma Barley Wine.
    E sou muito favorável a fazer mais programas sobre as cervejas da Brasil Kirin… inclusive um programa sobre a Baden 15 anos cairia bem, Helles Bock com lupulo nacional… pensem a respeito… rsrsrsrs

    Abç
    Guzzon

    Responder
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê, Guzzon!

      Concordo plenamente com vc. Tanto com relação à estratégia da Karavelle, quanto ao acerto do caminho. É preciso frisar o quanto isso pode ser importante para se ganhar novos adeptos de cervejas especiais.

      E quanto à Baden Baden 15 anos, nós bebemos essa informalmente com o Mario Coppini antes da gravação do episódio da Bier Hoff. E sabe o que achamos?
      Achamos que… Vamos falar quando fizermos um episódio dela, ok?

      😀

      Abração!!

      Responder
  4. Julio Oliveira

    Fala galera!!
    Mais uma vez parabéns pelo programa….Para mim rock é tudo de bom……ouço todas as rádios que tocam rock, sem preconceito. Também conheço a 89 desde a época da Pool….( nooosssaaaa faz tempo).

    Sobre o processo de retirada de alcool….não conhecia esse método não….minha dpuvida é se não deixa off flavor….teóricamente o gelo estoura as leveduras ainda presentes na cerveja e pode dar um sabor indesejado. Sei que nesta fazer do processo a quantidade de leveduras em suspensão é muito pequena, mas….existe chance de dar um saborzinho….Alguém quer tentar e me convidar para experimentar?
    Para mim alcool na cerveja é fundamental, pode até ser pouco, mas sem alcool, não dá…rsrsrs
    Por falar nisso, se não me engano pela legislação sem alcool é qualquer cerveja com menos de 0,5% de ABV.

    Um abraço a todos.

    Responder
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê, Julio!

      Dá pra ver q vc é da velha guarda, heim?! hehehe…
      Sabe q tem montes de blogs que falam da Pool FM? Eu não ouvia, mas parece que deixou saudades…

      Quanto aos processos de tirar o álcool da cerveja, acho q são interessantes. Mas é mais interessante ainda quando ela fica lá, né?

      Abração!!

      Responder
  5. Vinicius Rodrigues

    Como assim… “nenhum dos nossos amigos escuta o podcast”? XD
    Somos todos amigos… Não somos? T.T

    Já tomei essa cerveja bem como outras da Karavelle… Não é uma graaande cerveja, mas atende bem. Não é especial mas não compromete.

    No cerveja na garagem que rolou em janeiro eu perguntei pro mestre cervejeiro da karavelle se a 89 era a mesma cerveja que os outros rótulos. O que ele disse foi “não. São parecidos mas tem algumas diferenças”.
    Tenho quase certeza que ele disse isso, pq não lembro muita coisa daquele dia rsrs

    Pra quem quiser colar no butanta, estaremos lá do início ao fim, as 22h. Passa a hora que quiser pra tomar uma cerveja, brindar no copo de plástico e engordar naquele lugar cheio de Food truck.

    É isso, grande abraço galera

    Responder
    1. Ricardo Shimoishi

      hahaha… Vini…
      Claro q somos amigos! Nós nos referíamos aos amigos q já tínhamos antes de fazer o Beercast. Vc entendeu, vai?!
      E graaaande cerveja só a Kaiser… (ou não).
      Eu tb acho q a cerveja é O.K. Boa pra vc beber sem se preocupar muito.

      Abração!

      Responder
    2. Anselmo Mendo

      Viníciuuus… é claro que cê tá dentro da galera, a frase correta era “…os nossos amigos que tem baço não ouvem a gente!”. Amanhã vou lá no encontro!

      Responder
  6. Tiago Eduardo Cardoso

    Olá pessoal, parabéns pelo programa!
    Estou fazendo a dura missão de escutar os novos e os antigos podcast para acompanhar.
    É mancada pagar cerveja só para 5 estrelas no Itunes, não tenho Iphone! kkkk
    Estamos começando agora a nossa confraria em Atibaia. Somos em 4 apreciadores de cerveja e nos reunimos para dar muita risada e degustar. Toda semana convidamos alguns amigos para fazer parte das degustações e assim divulgar a cultura cervejeira.
    Curtam a nossa página e se puder divulgar seria muito legal.

    Um abraço!

    Responder
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala Tiago!

      Vc pode baixar o Itunes no PC e dar 5 estrelinhas prá gente (ou não) mesmo que vc não tenha iPhone ou iPad.
      Tá certo que como gerenciador de áudio o Itunes não é lá essas coisas…
      Mas pelo menos vc pode beber um chope grátis com o Gustavo. 😀

      Abração!!

      Responder
  7. Luquita

    Fala galera, que bom que os ouvintes curtiram o programa que eu participei, tive bastante feedback tb e isso me deixa feliz!

    O lugar que o Anselmo estava tentando lembrar é o Hangar 22, já fui num show do Matanza por lá e fica perto da Luz.

    E eu tinha qs ctz tb que já tinha ouvido falar de tirar o álcool por congelamento, ainda bem que o Anselmo foi pesquisar!

    Renato, eu tb já experimentei a Dog Beer, faz alguns meses atrás e sinceramente aquilo é ração liquida… nem meu cachorro gostou rs.

    Aquela questão do lúpulo impulsionado pelas Artesanais que o Rica comenta tem um fato bem interessante sobre a Barth Haas, a gigante produtora, que observou a crescente do mercado artesanal e abriu as portas para que os clientes pudessem comprar diretamente com eles e até começou a procurar por estes clientes.

    Pois antes o cara iria comprar com um revendedor por um preço bem maior e Barth foi atrás do cliente dizer que o lúpulo que ele compra com o revendedor era deles e que poderia pagar menos que a metade comprando diretamente com eles.

    Bom é isso ai pessoal, rs

    Responder
    1. Renato Martins Autor

      Po Luquita, o Minduim deu umas goladas na breja hein!!! Eu provei e tem mesmo sabor de ração..hahaha. Achei engraçado eu tomando uma cerveja e meu cachorro bebendo uma comigo.

      Valeu por enriquecer as informações Luquita.

      Abrassss!

      Responder
  8. Charles Henrique

    Fala bando de safado.
    Hoje estamos tão acostumados com novidades de cervejas extremas que uma cerveja comum acaba virando sem vergonha mesmo. A comparação injusta com a Red Ale da Baden foi foda, pois a Red Ale da Baden é uma Barley Wine, bem mais pica que a coitadinha da Karavelle. Também fiquei órfão da 89 quando ela virou POP, sinto saudades dos Sobrinhos do Ataíde, ainda uso os bordões dos caras como XIIIIIIIIIIIIIIIII Marquinho, Uhull Foca animal entre outros.
    Boa dica essa da feirinha na Rua do Porto em Piracicaba, seria legal todo mundo se encontrar lá no Domingo, comer um peixe e tomar breja boa. Quanto a galera ficar gritando pamonha pode ficar tranquilo, pois os únicos com o megafone que falam a célebre frase são os tiozinhos com Kombis e Brasílias que saem de Piracicaba pra vender as pamonhas. Já viu pão francês na França? Ou torta holandesa na Holanda? Pamonha de Piracicaba é a mesma coisa.
    Abraços a todos.

    Responder
      1. Guilherme

        Falando em Karavelle, eu e o Charlão vimos uma produção dela lá na região de Jundiaí… os caras tão usando tudo que é fábrica pra reproduzir a receita =]

        Responder
  9. Flávio Yokooji

    Não animei de tomar essas da 89 não. Preconceito meu. Quando vi, imaginei aquela cerveja aguada feita para vender para os fãs da rádio. Aliás, escutando o episódio que descobri que são vários estilos. Para mim, era 1 estilo só, pois o rótulo é bem parecido.
    Quanto as caneladas, acho que só tem 1: Vocês elogiaram o Zakk Wylde, mas colocaram uma música do Ozzy tocada pelo Randy Rhoad (primeiro guitarrista da carreira solo do Ozzy). Aliás, acho que Randy Rhoad muito mais guitarrista que o Zakk Wylde. Apesar de achar que o Zakk Wylde bom, ele me irrita as vezes com a quantidade de harmônicos nos riffs dele.
    Falando sobre rádios de rock, a Kiss é um caso complicado. Eles poderiam ter seguido a linha de rock clássico, mas poderiam tocar outras músicas das “bandas clássicas”. Problema é que tocavam sempre as mesmas músicas das mesmas bandas. Pô, tem música boa pra caramba de bandas clássicas do RoR que eles nunca tocavam. Quanto a 89, começaram bem, mas parece que a programação é a mesma de 15 anos atrás…
    No final, meu comentário foi mais sobre rock do que cerveja. Talvez, porque sobre a cerveja não há muito o que comentar.

    Responder
    1. Renato Martins Autor

      E ai Flávio, concordo com você… o lance do Rock tem mais destaque do que a cerveja nesse caso. É bom falar que certa vez conversamos com o Barão, que é um dos donos da Karavelle, e ele nos disse que o público foco são os iniciantes, por isso são cervejas não tão dentro das características. Como falamos durante o episódio, são cervejas que você pode apresentar para amigos que ainda não são bebedores e eles não irão “estranhar”. Pra quem já conhece e já bebe cervejas diferenciadas fica realmente complicado comparar….hehehe

      Um abração pra ti!
      Renato Martins

      Responder
  10. Daniel Córdova

    Fala galera!
    Excelente programa, como sempre… dei risada já de cara com a reação “cervejinha sem vergonha”.
    Sobre as guitarras, vou tentar ajudar, apesar de ser baterista: A 3a guitarra, da esquerda pra direita, é uma Fender Stratocaster. Quem toca muito com ela é o Eric Clapton, mas os caras do Iron Maiden usam muito também, David Gilmour, etc. É uma guitarra das mais clássicas.
    A última guitarra, a pretinha, na verdade é um baixo Rickenbacker (dá pra ver no gargalo que só tem 4 cordas). Segundo a Wikipedia, McCartney, Glenn Hughes, Geddy Lee, Lemmy, Roger Waters, entre outros, usavam esse baixo – até o Scott Pilgrim (http://en.wikipedia.org/wiki/Rickenbacker_4001).
    Só achei um vacilo não ter uma Gibson Les Paul do Jimmy Page. Quem sabe se sair mais uma cerveja da coleção.
    Pena que nunca vi (ou reparei) Karavelle pra vender aqui por Floripa… queria experimentar essas belezinhas.

    Off-topic: não sei se é pergunta antiga, mas como faz pra ter um avatar aqui nos comentários?

    Abraço, pessoal!

    Responder
    1. Renato Martins Autor

      E ai Daniel! Esse lance das guitarras é muito legal, quem é músico (no meu caso ex-músico….hehehe) da pra dar uma viajada nisso ai. E fora esses que você colocou, eu colocaria aquela guitarra em V que o James Hetfield do Metallica usa, acho muito massa!

      Sobre o Avatar, entra aqui nesse link e se cadastra, tem que ser com os mesmos dados que você usa nos comentários:

      https://pt.gravatar.com/

      Abração meu brother!
      Renato Martins

      Responder
      1. Daniel Córdova

        Opa, cadastrei lá no Gravatar… testando aqui se funcionou.
        E verdade, a Flying-V do Hetfield é animal também, tem muita guitarra icônica por aí.
        Eu tinha um projeto na cabeça de fazer uma cerveja pra cada instrumento de uma “banda de cervejas”, tipo: Drum Stout, Guitar Red Ale, Bass Weiss, Harmonica Pielsner, etc.

        Responder
      2. Flávio Yokooji

        A Flying-V do Hetfield é animal mesmo. Se bem que sou tão fã do cara que tenho uma Explorer. Também ficaria legal.

        Responder
  11. Vitor Hugo Meirelles

    Faaaaaaaaaaala Galera!

    Hoje é dia de Rock, bebê! hehehehe

    Abraço!

    KEEP ROCKER !!!

    Vitor Hugo Meirelles
    Rocker Produções

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*