Cerveja Kaiser Radler – Beercast #162

By | 15 de junho de 2016
Cerveja Kaiser Radler – Beercast #162

Cerveja Kaiser Radler – Beercast #162

Hoje vamos falar da Kaiser Radler, uma cerveja com suco de limão criada para refrescar “esportistas”.

Confira como foi esse bate-papo.

Cerveja Kaiser Radler

Cervejaria: Cervejaria Heineken
Estilo: Radler / Fruit Beer
Álcool (%): 2% ABV
Temperatura: 0-4 °C
Copo Ideal: Lager

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Cauby Peixoto – Bastidores
  • Cauby Peixoto – Proposta
  • Cauby Peixoto – Loucura
  • Cauby Peixoto – Oficina
  • Cauby Peixoto – Sentado à beira do caminho
  • Cauby Peixoto – Chão de Estrelas
  • Cauby Peixoto – Dona Culpa
  • Cauby Peixoto – Brigas de Amor
  • Cauby Peixoto – Não Explique
  • Cauby Peixoto – Onde foi que eu errei
  • Cauby Peixoto – Mistura
  • Cauby Peixoto – Ronda

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (36:45 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

20 thoughts on “Cerveja Kaiser Radler – Beercast #162

  1. Felipe Carlos Schwambar

    Fala amigos do beercast, há alguns meses comecei a ouvir o podcast de vocês e estou assim como outros ouvintes realizando o trabalho de passar por todos os programas passados. Posso confirmar os comentários que muitas vezes vocês fazem no programa que vem melhorando muito ao longo do tempo, se visto dos primeiros hoje é luxo.
    Sobre o episódio da Kaiser radler só posso afirmar uma coisa. Vocês são corajosos de tomar essa aberração da humanidade.
    grande abraço a todos !

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Hahahaha… Aberração da humanidade é bom!
      Eu tb não curto muito. Mas percebemos que bastante gente gosta dessas misturas de cervejas com sucos de frutas e outras paradas.

      Muito obrigado por nos acompanhar. A gente tenta fazer o melhor e é sempre bom receber esse tipo de feedback!

      Abração!

      Reply
  2. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!
    Muito bom o programa!
    Já quanto a cerveja eu abro mão… rsrs… vou ficar por conta dos comentários de vocês…
    Mas já provei algumas cervejas com suco de fruta e baixa caloria que comprei pelo cervejastore que são bacanas, funcionam praticamente como um refresco.

    E sobre o (polemico) tema de cervejas sem alcool serem usadas em provas e atividades físicas, as cervejas sem alcool e em especial as weizem sem alcool (máximo de 0,5%) tem uma composição muito semelhante aos isotonicos e podem ser tratadas como tal, na alemanha elas são tratadas como isotonicos e são dadas ao final de várias competições.

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê Guzzon!

      Sim.
      Existe um certo preconceito da galera que não curte muito cerveja de se reidratar com cerveja. Mas como comentamos ela é realmente muito rica em minerais. E, cá entre nós, tomar uma cerveja depois de exercício físico é como um prêmio pelo esforço. E nem precisa ter pouco álcool! hahaha….

      Forte Abraço!

      Reply
  3. Afonso

    Bom podcast

    Sobre essa cervejas light que dizem que é para esportistas… Lembro uma vez em um programa da Discovery falando que a primeira tentativa de colocar uma cerveja light no USA falhou, pois usaram um marketing para ser uma cerveja para emagrecer e colocaram mulheres no comercial. O Publico masculino não gostou, pois considerava uma bebida feminina. Depois criaram um outro nome na cerveja (acho que foi a budlight) para ser uma cerveja de esportista, que deu certo o marketing

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê Afonso!

      De fato:
      Principalmente quando o marketing pretende atingir um grande público, é preciso muito cuidado com o que se fala. Porque o tiro pode sair pela culatra e perder consumidores (como vc mencionou).
      Eu lembro de anos atrás (muuuitos anos atrás) que a Ford tinha um carro chamado Verona. A ideia da montadora era que as pessoas lembrassem da cidade italiana de Verona, onde se passa a história de Romeu e Julieta. Mas as pessoas começaram a zuar falando que Verona era aumentativo de Vera. E que Verona só poderia ser uma Vera meio… “masculina”… Portanto, Verona seria um carro de travesti. Imagina o estrago.
      hahaha…

      Abração!

      Reply
  4. Daniel Córdova

    Fala pessoal!

    Gostaria de agradecer por terem me poupado uma má experiência. Eu estava criando coragem pra comprar essa cerveja. Agora não vou mais hehe
    Vocês comentaram sobre a Desperados. Foi uma das poucas coisas que eu tomei um ou dois goles e joguei o resto no ralo. Ô coisinha ruim!

    Já tomei também a Schöfferhofer com grapefruit, que o Luquita comentou. Era boazinha.

    A Saint Bier tem produzido a Slimbir, que diz ser uma hefeweizen de baixa caloria com suco de laranja, mas ainda não experimentei.

    A Skol Ultra não é a pior coisa que já bebi, mas também não compraria novamente.

    Ainda estou para fazer um café da manhã bávaro em casa pra ver como fica. O Luquita faz tanta propaganda disso que deve ser bom mesmo.

    Ah! E em termos de vitamina, a levedura é pura vitamina B, tanto que é vendida em cápsulas nas lojas de produtos naturais. Se quiserem vitamina, bebam o fundinho das garrafas de cerveja não filtrada. Eu prefiro não beber porque em mim o efeito colateral no dia seguinte não é muito agradável.

    Valeu!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      hahaha…
      O Beercast trabalhando para o bem estar da população cervejeira! 🙂

      Eu tb tomei a Schöfferhofer. Mas (como a Radler) ela pouco lembra cerveja, né?
      Também estou interessado nessa de café da manhã bávaro! hehe…
      E as vitaminas concentradas da cerveja tb me causam efeito parecido em mim… kkkk…

      Forte Abraço!

      Reply
  5. Luquita da Cerveja

    Fala pessoal, programa booom heim… melhor que a Kaiser Radler sem dúvida rs.

    Dias atrás, tentei tomar a Kaiser Radler de Tangerina mas oooooo coisa ruim!

    Atualmente na Alemanha esses mix de cerveja tem se tornado muito popular entre a galera jovem, antes não se achava Radler pronto, vc mesmo fazia em na sua casa. Em 2013 experimentei várias, principalmente da Schofferhofer, que pode ser encontrada aqui.

    A Schofferhofer tem com limão, “cola”, cactus, laranja e vai lá se saber mais o que mas na vdd tem tudo gosto de limão. A diferença é que essa cerveja é a base de Trigo e contém álcool. Na vdd as de Trigo com alguma coisa são mais populares do que as Pils com alguma coisa mas você pode encontrar várias e vários tipos, inclusive algumas que vem escrito Isotônico, neste caso sem álcool.

    O problema da Kaiser Radler de fato é a Kaiser, tentem um dia fazer uma Radler com uma autêntica Pilsen, onde vc tem o amargor bem presente e quebra ele com um pouco do adocicado do refrigerante de limão. Se fizer com suco de limão a pegada vai ser um pouco diferente mas ainda assim refrescante.

    Na Alemanha esse tipo de cerveja é mais comum para ser consumido numa manhã de ressaca e atualmente nas baladas mas de fato não se encara como cerveja, é algo bem pra matar a sede mesmo.

    Eu mesmo já consegui trazer uma amiga para o lado das cervejas “artesanais” começando pela Kaiser Radler, levei em um aniversário dela e ela adorou, ai depois disso começou a procurar outras cervejas e hj é uma lupulomaniaca.

    Houve uma outra Radler bem antes da Kaiser da Crystal, que tb fez com Maracujá e sei lá mais o que… era horrível.

    E só pra constar… o Rica ta fazendo carreira no alcoolismo rs.

    Abraços

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Legal o seu depoimento, Luquita.

      Eu tenho minhas ressalvas. Me dá a impressão daquelas brincadeiras de moleque de misturar Coca com Fanta…
      Se for prá matar a sede com cerveja eu prefiro cerveja mesmo: “Cowboy”… hahaha…
      Mas se for pra fazer um drink de cerveja, como comentei no episódio, eu gosto das “Black and Tan”. Acho bem interessante sentir sabores de cervejas diferentes no mesmo gole.
      Eu sou só um grande apreciador de cerveja mesmo. se fosse alcoólatra iria beber pinga… 🙂

      Abração!!

      Reply
      1. Luquita da Cerveja

        Acho que a questão pra matar a sede, logo cedo, fazendo essa mistura é que vc além de conseguir algo mais doce e talvez agradável, o teor alcoólico cai muito e por isso não de preferência para uma cerveja normal.

        Reply
  6. Micheel Pedreira

    A da Kaiser experimentei na ultima ida ao Brasil, dei 1.75 no Untappd. Experimentei alguns rotulos Radler vendidos aqui na Italia… e nao consegui gostar de nenhuma, igual a Kaiser kkkkkkk

    Reply
      1. Micheel Pedreira

        Comentando enquanto ouço…. hahah Aqui na Italia as Radlers sao com limoes sicilianos.
        Experimentei a Desperados pela primeira vez quando morava na Polonia…. e odiei. Mas via muitas mulheres bebendo la.
        A Skol Ultra eu experimentei quando fui ai também… nao entendi porque estao vendendo agua em lata kkkkk

        Reply
      2. Ricardo Shimoishi

        É esse daí que o Luquita da Cerveja curte.
        Mas dá uma dó misturar. Vamos ver se crio coragem e “sacrifico” uma cerveja de trigo pra fazer a brincadeira.
        Ah! Agora tem umas Bohemias de trigo e a Brahma Weiss! Vou testar com essas!

        Abs!

        Reply
      3. Luquita da Cerveja

        Fala Micheel,

        Frühstück quer literalmente dizer café da manhã em Alemão mas sim, na região sul se tem o costume de beber cerveja com suco de laranja no café da manhã, fica muito bom.

        Eu particularmente gosto destas misturinhas, apesar que a maioria tem tudo o mesmo gosto de toque de limão rs.

        Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*