Cerveja Coruja Doppelbock Coice – Beercast #199

By | 1 de março de 2017
Cerveja Coruja Doppelbock Coice – Beercast #199

Cerveja Coruja Doppelbock Coice – Beercast #199

Para o episódio de hoje, Rica Shimoishi trouxe a Cerveja Coruja Doppelbock Coice para a mesa do Beercast.

Confira como foi esse bate-papo.

Cerveja Coruja Doppelbock Coice

Cervejaria: Coruja
Estilo: Doppelbock
Álcool (%): 12% ABV
Temperatura: 5 a 7º C
Copo Ideal: Pint

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Kleyton & Kledir – Paixão
  • Kleyton & Kledir – Fonte da Saudade
  • Kleyton & Kledir – Maria Fumaça
  • Kleyton & Kledir – O Analista de Bagé
  • Kleyton & Kledir – Navega Coração
  • Kleyton & Kledir – Nem Pensar
  • Kleyton & Kledir – Beijoqueiro
  • Kleyton & Kledir – Deu Pra Ti
  • Kleyton & Kledir – Pára Pedro

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (34:13 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

19 thoughts on “Cerveja Coruja Doppelbock Coice – Beercast #199

  1. Fabrizio Guzzon

    Salve Galera!
    Já provei esta breja a algum tempo, achei uma doppelbock bem bacana, principalmente para as nacionais. Mesmo com a canela na composição o sabor ainda é bastante caracteristico e agradável.

    E enquanto ouvia o programa e vcs falaram que quem anda com a camiseta do Beercast pode encontrar alguém que entende e acabar bebendo uma breja, e logo em seguida o Rica falou que aconteceu algo igual com ele com a camiseta do Breaking Bad, na hora eu achei que tinham visto a camiseta e ele foi tomar anfetaminas com alguem… ainda bem que ele explicou depois…. rsrsrsrs

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Aê, Crocco.

      Acho q gosto mais de Breaking Bad do q de Rock. Só entendi q é uma música dos caras depois de dar uma googada. Hehe…
      Quero dizer, ando aprendendo um pouco com o Anselmo é o Renato, mas ainda sei muito pouco.
      Sou mais MPB mesmo. Ou, se for Rock, sou mais aquele som q faziam as bandas e cantores nacionais em meados dos anos 80: Blitz, Metrô, Léo Jaime, Legião Urbana, Paralamas… essa turma aí.

      Mas achei a camiseta bem legal!

      Abração!

      Reply
  2. Mauro Prates

    Fala galera.

    Tomei a pilsen Extra Viva da Coruja a um ano atrás. Lembro que gostei bastante. Muito cara na época também.

    Aqui em BH a moda é a Catuaba com Açaí… Deve ser muito bom #sqn.

    A Coruja, depois de passar por RS, SC, PR e SP podia subir em linha reta e para em MG kkkk seria uma boa. Sem curvas pra RJ.

    Sobre a carne de Pato conversei com uma amiga natural de Lima, é muito comum comer pato por lá. Arroz com pato. Muy rico.

    Achei sacanagem discutir comida num programa sem quem mais entende kkkk.

    Acho que sou o único químico do mundo que nunca assistiu Breaking Bad kkkk não entenderia uma piada sobre a série.

    Cara, voltei o programa três vezes e não entendi a piada do Anselmo sobre a cidade pequena… Explica aí kkkk

    Abraços

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      E aí Mauro? Se era o Gustavo a quem você se referia sobre entender de comida, não adiantaria muita coisa. Ele manja de hambúrguer, coxinha, carne louca e pizzas. Coisas refinadas (como pato) não é com ele. E assista Breaking Bad, a melhor série de todos os tempos 🙂 Poxa, o nome da cidade era Viela (= rua estreita, um beco). Não chamam assim em MG não? 😀 Abração!

      Reply
      1. Mauro Prates

        Fala Anselmo… Era o Gustavo mesmo kkkk esqueci deste pequeno detalhe.

        Quase não falamos viela, mas é de conhecimento nosso por ser uma rua estreita. A questão é mais não ter ouvido/entendido o que você falou kkkkkk. Audisom pra mim.

        Mês que vem estou em Sampa! Vou precisar de dicas além do bar dos Velhas Virgens e do Frangó na zona norte!!! Por favor!!!

        Reply
  3. Luquita da Cerveja

    Fala pessoal, bom programa e essa cerveja acho que tomei só uma vez na vida, não me impressionou como a maioria das cervejas da Coruja, sinceramente não sinto nada do que eles dizem por nelas. Rs…

    Bom talvez tenha que revisitar para ver mas de memória me parecem todas mto contidas.

    Sobre carne de caça, seis são tudo mole… eu cresci comendo carne de Coelho selvagem, carne dura, forte. Carne de pato selvagem também e já comi Javali e outros bichos não comuns, inclusive Avestruz que foi a carne mais forte que já experimentei.

    Só de lembrar já salivei, acho mto bom sabores fortes e marcantes.

    Enfim, abraços.

    Reply
  4. Daniel Córdova

    Fala, pessoal!
    Tomei essa cerveja faz mais de 2 anos já, mas lembro que a sensação da canela aparecia depois que a gente fica sabendo que ela leva a especiaria.
    Concordo com o Anselmo, a coruja da Coruja não se parece uma coruja hehe. Aliás, toda a identidade visual da Coruja acho meio perturbadora. Acho que é esse mesmo o intuito, mas me incomoda, não é agradável, são temas bastante notívagos e estranhos – missão cumprida.
    Catuaba selvagem tomei uma vez na vida e depois nunca mais. Foi o pior porre que já tive até hoje. Tudo bem que tomei outras coisas na noite, mas terminei na Catuaba… não recomendo.
    Sobre carne de caça, já comi javali algumas poucas vezes. Às vezes gosto, às vezes acho muito forte, deve ser coisa do dia e dos acompanhamentos. O cordeiro com geleia de menta acho que suaviza o sabor da carne também.
    Abraço!

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      Acho essa comunicação visual da Coruja bem estranha mesmo Daniel. Entendo essa coisa “desagradável” que você sentiu e concordo, mas nem sei se tentaram isso de propósito. Sobre a Catuaba, ela é realmente um problema 🙂 Aqui nas minhas redondezas o Carnaval corre solto e o que mais tem é gente bêbada com essa porcaria. O javali tem sempre nas churrascarias daqui e com certeza não é de caça, que imagino, seja proibida no Brasil. Se não for por necessidade, acho que eu passo, rs.

      Reply
      1. Daniel Córdova

        Aqui na região de Lages existe uma “infestação” de javali, que causam sérios transtornos.
        Existem caçadores legalizados na região que tentam controlar a praga, mas nesse caso a carne e subprodutos não podem ser comercializados.

        http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/02/javalis-destroem-plantacoes-e-causam-prejuizos-na-serra-de-sc-4984264.html

        http://xd.globo.com/pra-surtar/javalis-gigantes-infestando-santa-catarina-parece-coisa-de-filme-de-terror-mas-a-realidade-18569582.html

        Reply
  5. Haifang Nehls

    Ah q legal q falaram do meu post. 🙂

    meu nome é Haifang, e não Haifgang (kkk) fora isso ta certinho.
    Acompanho o programa faz tempo. Mas não interajo muito…
    Vcs vão vir para o festival da cerveja em Blumenau? Estarei na sexta e sábado.

    Abraços

    Reply
        1. Anselmo Mendo

          Infelizmente, nenhum de nós estará em Blumenau, Haifang (seu nome é difícil até de digitar, 😀 ). Mas o Daniel Córdova e o Luquita, que sempre participam aqui com a gente, devem estar por lá.

          Reply
          1. Haifang Nehls

            Show.
            Meu nome veio de um livro q meu pai leu um pouco antes de eu nascer (a história da China, ou algo assim). Eu sou de origem alemã, mas meu nome é chinês ( eram os loucos anos 80, dá um desconto pro pai)

            abraço.
            P.s.: Essa semana chega em 200 episódios. Vai ter bolo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*