Cerveja Caseira for Dummies com Rodrigo Reis Cap.01 – Beercast #167

By | 20 de julho de 2016
Cerveja Caseira for Dummies com Rodrigo Reis Cap.01 – Beercast #167

Cerveja Caseira for Dummies com Rodrigo Reis Cap.01 – Beercast #167

Para o episódio de hoje, Rodrigo Reis estreia nossa série de capítulos de Cerveja Caseira for Dummies, neste capítulo vamos falar de equipamentos.

Confira como foi esse bate-papo.

Cervejaria: Caseiro Rodrigo Reis
Estilo: Pumpkin Ale
Álcool (%): 6,8% ABV
Temperatura: 8-12 °C
Copo Ideal: Pint

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • The Doors – Hello, I Love You
  • The Doors – Light My Fire
  • The Doors – People Are Strange
  • The Doors – Love Me Two Times
  • The Doors – Riders on the Storm
  • The Doors – Break on Through (To the Other Side)
  • The Doors – Roadhouse Blues [Live]
  • The Doors – Touch Mev
  • The Doors – L.A. Woman
  • The Doors – Love Her Madly
  • The Doors – The Ghost Song
  • The Doors – The End [From Apocalypse Now]

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (59:40 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

36 thoughts on “Cerveja Caseira for Dummies com Rodrigo Reis Cap.01 – Beercast #167

  1. Pingback: Cerveja para Iniciados com Flávio Yokooji, Alexis Junqueira e Rodrigo Reis – Beercast #206 - Beercast Brasil

  2. Pingback: Cerveja Caseira for Dummies com Rodrigo Reis Cap.03 – Beercast #172 - Beercast Brasil

  3. Gibran Malschitzky

    Se vê, apesar de fazer um tempinho que eu faço breja sempre tem uma dica nova. Essa de aproveitar a breja do densímetro, certamente, nunca tinha me passado pela cabeça. Excelente programa e continua a minha dica de chamar o Jamal do canal do YT Beer school. Xiers!

    Reply
    1. Anselmo Mendo

      E aí Gibran? Obrigado mais uma vez pela dica de pauta, mas é tanta coisa que não damos conta de organizar tudo. Essa coisa de aproveitar a breja do densímetro é muita sovinice nénão 😀
      Abração!

      Reply
  4. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!

    Mais um ótimo programa com o Rodrigo!
    E aconteceu o mesmo efeito do primeiro programa com ele…. terminei de ouvir com uma baita vontade de sair comprando panela e balde para fazer minha própria cerveja.
    E isso é uma reação muito legal ao programa, pq realmente dá vontade de começar a fazer ouvindo os relatos do Rodrigo.
    Vamos ver convenço meu pai a ocupar parte do tempo dele com isso… rsrsrs…. pelo menos cedendo o espaço e comprando as panelas.

    Abç
    Guzzon

    Reply
  5. Alexandre

    Muito bom esse episodio, e essa serie dummies tem que continua com certeza.

    Estou na expectativa para os próximos tenho mtas duvidas sobre fazer cerveja. Já fiz uma APA e recente fiz uma Red ALE que essa surgiu mtas duvidas e tive mtos problemas com ela.
    Algumas Duvidas.
    Minha Red saiu com uma coloração mais escurar. Achei que ela ficou aguada tente analisar onde posso ter errado, mas sou mto leigo nesse ramo ainda.
    Pensei, foi por ter deixado 1 mes maturando (não sei se tem problema deixar mto tempo?). Tentei achar algo na net, mas sem resultado.

    Infelizmente não tenho equipamento completo conforme mencionado no podcast.
    Falta o densímetro, a Geladeira (como qdo fiz a APA e o vendedor do malte falou q dava para fazer em temperatura ambiente e minha APA ficou boa, então não usei geladeira tbm na red) para controlar a temperatura. Só uso uma panela nº36

    Bom obrigado pelo conhecimento adquirido nesse episodio e aguardando ansiosamente o próximo capitulo.

    E que uma próxima gravação tenha convite para os assinantes.

    Abraços

    Reply
    1. Rodrigo Reis

      Alexandre, da para fazer qualquer cerveja sem geladeira porém o controle de temperatura é essencial para ter a cerveja com as características corretas! Sobre o que ocorreu com sua breja, você precisa levar para grupos CE caseiro para análise! No lamas podemos fazer isso para você!

      Reply
      1. Alexandre

        Obrigado Rodrigo pelo retorno.
        Outra duvida sobre o episodio qdo vocês estão falando de densímetro e refratômetro. E pesquisei e vi que um site falou o seguinte “IMPORTANTE: não se deve usar o refratômetro para medição de FG.”
        Essa informação é correta? Pq se não pode medir a FG (que seria o final da fermentação?) então o refratômetro seria meio que inútil compra-lo.
        Agora sobre levar para um grupo de CE caseiro não conheço nenhum proximo. Olhei o Lamas fica muito longe.

        Abraços

        Reply
        1. Afonso

          eae blz? eu fiz essa pergunta, procura nos comentários abaixo, que ele respondeu

          Reply
          1. Alexandre

            beleza Afonso?

            Realmente ele respondeu nos comentários abaixo, e eu já tinha lido e não prestei atenção. Deve ter sido pq a duvida surgiu depois q comecei a pesquisar sobre o refratômetro.
            Eu estou com duvida em comprar o refratômetro ou densímetro.
            Mas obrigado pela resposta.

        2. Rodrigo Reis

          O refratometro tem um erro de medição por conta do alcool, porem qualquer calculadora que tenha refratometro na mesma ja aplica a equação de correção.

          Reply
  6. Luquita da Cerveja

    Fala galera, que muito legal esse programa. Um pouco cópia do Cerveja Feito em Casa mas ok… rs, brincadeira sei que a abordagem é diferente no final das contas.

    Ainda estou esperando alguém fazer uma real pumpkin ale, aquela que leva só abóbora na receita, como os antigos colonos faziam quando faltou malte.

    Bom não tenho muito o que comentar, tenho uma pequena cervejaria do lado de casa e não tomo vergonha na cara de ir fazer algumas brejas rs.

    Abraços

    Reply
  7. Daniel Córdova

    Fala pessoal!

    Legal que estão botando em prática esses episódios mais voltados ao cervejeiro caseiro.
    Tenho alguns comentários sobre os assuntos tratados:

    – a questão da quantidade de levedura, o que o fabricante escreve no pacote pode até funcionar mas não será tão bom quanto o recomendado pelo pessoal: 2 pacotes de leveduras devidamente hidratadas para 20 L.

    – Sal é adicionado nas cervejas Gose e fica muito bom e refrescante.

    – Faço o priming só com açúcar normal mesmo. 5 a 7 g de açúcar por litro de cerveja. Leva duas semanas para carbonatar, geralmente. Fervo esse açúcar com um pouco de água por alguns minutos e adiciono no balde de trasfega na hora de engarrafar. Já tentei adicionar o açúcar de garrafa em garrafa com uma seringa mas não gostei do resultado (temho amigos que preferem assim).

    – Dá pra deixar fermentando sem controle de temperatura, mas os resultados geralmente não serão bons. O ideal é ter uma geladeira extra dedicada pra isso com controlador de temperatura (e a sonda/termômetro deve estar no mínimo colado no corpo do fermentador e bem isolado do ar ou, se possível, dentro de uma sonda de inox em contato com a cerveja).

    – Eu tbm sofro muito com falta de espaço em casa. A sorte é que não tenho filhos, então o 2o quarto do apê, apesar de pequeno, tem 2 geladeiras pra cerveja, além das máquinas do ateliê da Taíse.

    Valeu!

    Reply
    1. Rodrigo Reis

      Daniel vou pontuar seus pontos kkkkk.

      Eu uso uma calculadora para definir o pitch rate de levedura ( http://www.brewersfriend.com/yeast-pitch-rate-and-starter-calculator/ ), costumo falar que, segundo o fabricante, dá para ir de São Paulo a Brasilia de fusca 66, mas você não chegará bem, é a mesma coisa com a fermentação, um só atende, mas não sera a melhor dosagem de levedura.

      O estilo gose pode ser com adição de sal, mas antigamente era a água da região que era muito dura.

      Priming é religião, eu uso Balas de carbonatação quando não to com paciência ou diluo o priming no balde de envase.

      Pior, imagina que a cerveja fica excelente, você não conseguirá reproduzir por contra de não ter o perfil de temperatura da fermentação.

      Falta se espaço não é meu problema, felizmente, mas ainda assim pretendo construir um quarto em casa para poder bagunçar a vontade kkkkk.

      Reply
      1. Daniel Córdova

        Rodrigo, também uso a calculadora, faço starter e tudo mais.
        Só quis passar uma conta rápida pro pessoal que está mais no início mesmo =)

        Invejo tua “sobra” de espaço hehehe

        Reply
  8. Rodrigo Reis

    Eae Pessoal, foi legal gravar mais um programa, vou terminar de ouvir agora, no almoço e estou de olho nos comentários para responder todos 🙂

    Reply
  9. Afonso

    Ótimo podcast, gostei da ideia do nome do episodio hehe
    Essa serie dummies tem que continua ate a escala industrial rs

    Tenho uma pequena duvidas sobre a fabricação de cerveja
    – Quanto tempo posso ter guardado o malte moído sem perde eficiência dele?
    – Estava lendo na internet que o refratômetro é impreciso comparado o densímetro, essa informação procede? quais os cuidados tenho que tenho que ter para reduzir essa imprecisão ?

    Como sugestão para algum episodio, dicas para uso de frutas nas cervejas. Pois acredito que existe uma dificuldade de fazer pelo motivo de varia a mesma fruta (mais madura, mais doce….), principalmente mudanças em estação

    Achei muito interessante o prato de pernil do bar” tv e cerveja” tentarei ir na próxima viagem

    Reply
    1. Daniel Córdova

      Afonso,
      O problema do refratômetro é que o álcool gerado pela fermentação interfere na leitura. Ele lê perfeitamente as densidades do mosto, mas depois de fermentado você precisa de uma tabela de ajuste, ou de um densímetro para corrigir a leitura. No fim das contas, o densímetro é mais confiável, mas vc perde um pouco de cerveja.
      A primeira pergunta não sei responder com certeza, mas acho que uma ou duas semanas bem fechado num lugar fresco e seco.

      Reply
    2. Rodrigo Reis

      – Quanto tempo posso ter guardado o malte moído sem perde eficiência dele?
      Isto não tem um numero magico, nós comentamos aqui na loja que uma semana ele não perde muito rendimento, desde que bem embalado e acondicionado.

      – Estava lendo na internet que o refratômetro é impreciso comparado o densímetro, essa informação procede? quais os cuidados tenho que tenho que ter para reduzir essa imprecisão ?
      O refratómetro tem um erro por conta do álcool como o Daniel comentou, mas tendo a OG e FG dá para aplicar uma equação que compensa o erro. Calculadora ( http://www.minati.com.br/ref/ )

      Abraço

      Reply
  10. Allan George

    Excelente, faço cerveja em casa há algum tempo, é um hobby muito prazeroso. Com relação a água: eu uso água da rede mesmo, passo por filtro de carvão e partículas e nunca tive problemas

    Reply
    1. Rodrigo Reis

      Allan, o Filtro de carvão ajuda bastante, aqui na loja indicamos o uso de 10 micras, carvão ativo e 1 micra, quando fiz minha primeira brassaagem de 60 litros usando galão eu vi que não faria mais tanto sem usar filtro kkkkkk

      Reply
      1. Allan George

        Show de bola, esse filtro que eu uso é um daqueles 2 em 1: ele filtra partículas, tem carvão ativado e ainda tem um lance com prata dentro.

        Reply
  11. Flavio Yokooji

    Tudo bem pessoal? Legal o programa. Vai ajudar bastante quem quer começar.
    Fiz uma pumpkin ale para as festas juninas, mas que acabou ficando pronta para as julinas! Rs. Assei a abóbora pescoço no forno e depois fiz um purê. Coloquei o purê na brassagem no bag e os maltes fora do BIAB. O que preciso acertar são os temperos. Ficou com muito cravo e anis estrelado. Canela ficou no ponto, mas não senti o gengibre, as pimentas nem a noz moscada que inserimos.
    Ah, irei ao Lamas essa semana para pegar insumos para uma red ale. Vamos ver se encontro o Rodrigo por lá!

    Reply
    1. Rodrigo Reis

      Flavio traz uma garrafa desta breja hein, caso contrário cobrarei 10% de multa kkkkkkkk

      Pensei em fazer pure, mas gostei muito do resultado com o doce, usei menos abobora e deu muito gosto.. Dá próxima vez usarei menos açúcar no doce e diminuirei a graduação alcoólica, o pessoal saiu bêbado de casa kkkkkkk.

      Reply
  12. Anderson Onir

    Dae Galera,

    Esse episódio caiu como uma luva pra mim, eu estou bem na vibe de tentar fazer cerveja em casa (graças ao Beercast),
    inclusive essa semana me inscrevi em um curso aqui em Porto Alegre que vai acontecer no fim desse mês.
    Muito boa essas dicas do Rodrigo, ajudou bastante no ajuste da lista de equipamentos que estou montando.
    E apoio 100% que vocês continuem com essa série de Cerveja Caseira for Dummies.

    Abração
    Anderson Onir
    Porto Alegre

    Reply
  13. Giovanni Tonello

    Muito legal o episódio.
    Montei meu kit de 5 L no meu ap de 50m (qse da CDHU hehehe) lá no lamas.
    Até que está bem organizado as coisas, antigamente ocupava o quarto da “bagunça”, hoje nem isso.

    Comecei com o uma panela e bazooka, mas levava muito mais tempo.
    Hoje uso o bag, ficou bem mais dinâmica.

    Tento fazer uns 10 L por mês.

    O Rodrigo sempre ajuda bastante lá no lamas.
    E ele já teve a honra (pra mim rsrs) de provar umas cervejinhas que andei fazendo.

    E se possível, queria saber se poderia mandar uma pra vocês para tomar nos episódios dos Cerveja Caseira.

    O legal de fazer 5 L é que dá para arriscar mais, inventar receitas malucas, se der erro, não vai muito embora.
    Porém, se der muito certo, dá uma dor no peito de abrir uma garrafinha hehehe

    Abraços

    Reply
    1. Rodrigo Reis

      Giovanni, o legal que trabalhar em um brewshop é beber no trabalho kkkkk, brincadeira, mas é legal poder provar as cervejas e discutir sobre brejas, processos e insumos. Já aprendi muito aqui e tento sempre passar conhecimento.

      Eu estou montando um equipamento de 5l para poder fazer experiencias loucas kkkkkk

      Abraço.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*