Cerveja Bear Beer Wheat – Beercast 123

By | 16 de setembro de 2015
Cerveja Bear Beer Wheat – Beercast 123

Cerveja Bear Beer Wheat – Beercast 123

Para o episódio de hoje, Gustavo Passi trouxe a Bear Beer Wheat, uma cerveja “fofinha” que lembra o urso da Coca Cola e que tem um “custo x benefício” bem interessante.

Confira como foi esse bate-papo.

Cerveja Bear Beer Wheat

Cervejaria: Harboes Bryggeri
Estilo: Hefeweizen
Álcool (%): 5% ABV
Temperatura: 5-7 °C
Copo Ideal: Weizen
Preço Varejo: R$9,99 (500 ml)
Preço com nosso cupom 15%: R$8,50 (500 ml)

botao-comprar-cerveja

Confira a nota dos Beerquesteiros para a Cerveja do episódio:

Links comentados durante o episódio:

BeerGifts

Download

Trilha Sonora

  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Shucking The Corn
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Pony Express
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – No Title Yet Blues
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Old Joe Clark
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Eight More Miles To Louisville
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Farewell Blues
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Little Maggie
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Black Rock Turnpike
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Earl’s Breakdown
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Reuben’s Train
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Riding On The Waves
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Fire On The Mountain
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Eighth Of January
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Bugle Call Rag
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Hard Ain’t It Hard
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Mountain Dew
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Buffalo Gals
  • Eric Weissberg & Marshall Brickman – Rawhide

Acompanhe e entre em contato com o Beercast:

Clique no play no inicio da página e escute nosso episódio. (36:07 de duração)
Avalie abaixo quantas tampinhas esta cerveja merece.

22 thoughts on “Cerveja Bear Beer Wheat – Beercast 123

  1. Jorjaum

    Ola pessoal
    Bem legal o programa eu anotei aqui umas coisas do programa e vi que ja falaram todas as garrafas nos comentarios anteriores kkkkk. Mas a que me importa mais é o caso do aluminio que provoca pode provocar mal de Alzheimer, vai a dica para os cervejeiros de panela que usam aluminio, fazer um esforço e ir trocando para inox, é um pouco caro, mas acredito que em um longo prazo cuidar da saúde é o mais importante.

    Queria dizer tambem que nao sei se tive sorte ou azar, mas eu tenho uma mulher q me acompanha bem na cerveja, acho que ela bebe mais que eu kkkkk, Minha mulher bebe todos os tipos, mas ainda tem uma tendencia a cervejas do tipo weiss witbier, trapistas e abadias.

    Achei massa a nova camiseta ficou show, o artista desta camiseta já é meu preferido, pq ele fez as minhas camisetas preferidas, tanto essa como a dos monges trapistas. Espero que quando volte para o Brasil ainda tenha estas camisetas a venda.

    E para finalizar ontem tava ouvindo este episodio tomando uma duvel em seu propio copo, me lembrei do episodio 3 em que falaram que o nome é gravado do lado de dentro para fazer bolha ou algo assim, e o Anselmo disse q o dele era gravado por fora, entao fiquei curioso para ver se o meu era assim e erap or fora tambem, mas olhando bem para o copo vi q no fundo tem gravado por dentro o D de duvel que deve ter a mesma funçao.

    Abraços pessoal

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Valeu, Jorjaum!
      Essa história das panelas de alumínio provocar Alzheimer é verdade mesmo? Então 90% (ou mais) da população mundial está correndo o risco de ficar doente, né?
      E, nesse caso, adiantaria trocar as panelas de fazer cerveja mas continuar se alimentando de comida feita em alumínio? hahahaha…
      Sei lá! Ok, vai! Vou começar a trocar as minhas tb. O Seguro morreu de velho.
      Vc tem sorte da sua esposa gostar de beber essas. Beber cerveja acompanhado é sempre mais divertido. Eu ia gostar se a minha apreciasse mais estilos de cerveja, além das docinhas.
      Tb achei showzaço a nova camiseta. Mas prepare-se porque tem outras muito, muito bacanas no forno tb!
      E eu até tinha esquecido desse história da taça da Duvel! Vou dar uma olhada na minha.
      Obrigado por ter escrito!

      Abraçaum!

      Reply
  2. Fabrizio Guzzon

    Salve galera!
    Muito bom o programa, já encontrei a breja do urso mas ainda não tive o interesse em provar..

    E vocês comentaram que muitas vezes a weiss fica em segundo plano, eu creio que a weiss sofre o mesmo efeito da Pilsner. Nos achamos outros estilos e deixamos estes estilos “de entrada” para trás e depois de algum tempo acabamos voltando a visitar o estilo e encontramos ótimos rótulos.

    Abç
    Guzzon

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Verdade Guzzon.

      Tem tanta cerveja boa que a gente acaba esquecendo essas “de entrada”.
      Acho que as Cervejas do Urso são mesmo prá quem está bem no comecinho da jornada cervejeira.
      São boas. Mas acho que não são as primeiras da fila da “wish list”. Deixa passar uma rodada… rsrs…

      Abração!

      Reply
  3. Flavio Yokooji

    Tudo bem pessoal?
    Bom… o Lukita já adiantou as garrafadas! Rs. Concordo com ele quanto a qualidade da cerveja também. Para mim, não vale a pena. Claro que gosto é gosto.
    Só achei que em vez de dar aqueles dados duvidosos sobre a região que fica a Dinamarca, poderiam comentar sobre outras cervejarias dinamarquesas que encontramos no Brasil como To Øl, Ugly Duck e EvilTwin (do irmão do dono da Mikkeller citado pelo Rica).

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala Flávio!

      Tem toda a razão! A Dinamarca tem ótimas cervejarias (geralmente com foco na escola americana) e deveríamos falar mais delas. Dentre os países escandinavos (pelo menos no Brasil) parece ser a que mais “investe” em cervejas.
      Outro dia (vc viu), eu tomei uma “Miami Vice” da Ugly Duck. Muito boa!
      Voltaremos a falar desse pequeno, lindo, gelado e cervejeiro país!

      Abraço!!

      Reply
  4. Luquita da Cerveja

    Fala pessoal, bom programa mas vocês 3 continuam escorregando nas diferenciações de Weiss, Wit e Wheat! Rs…

    Olha eu tomei só uma das Bear Beer e achei muito ruim, tanto é que não voltei a procurar. A cerveja, assim como a Faxe, é meio que uma Brahma e Skol lá na Escandinávia… o mais barato que consegue.

    O que não significa que é barato de fato, nós reclamamos dos impostos aqui mas nos países escandinavos as taxas sobre bebida alcoólica são astronômicas. Tudo isso para desincentivar o consumo de álcool que é de certa forma mal visto por lá, acredito que pelo histórico de abuso rs.

    Não me lembro em qual dos países da Escandinávia, o consumo ainda é proibido ou foi liberado a muito pouco tempo atrás e é por isso que todas as cervejas por lá saem com o teor alcoólico bem baixo, é o limite de fato.

    Ainda bem que para exportação eles podem melhorar esse detalhe mas não Bear Beer que tomei exageraram, assim como em todas Faxe que tomei, fica com um sabor alcoólico mto predominante. Eles falham na hora de por mais álcool ou é de propósito rs. Enfim, essas infos mais detalhadamente estão no livro “O Atlas Mundial da Cerveja”, que é muito bom para se aprender sobre o consumo em outros locais.

    De fato J = I e Ø = Ö = Oe assim como Mikkeller se pronuncia Mikkuller mas ai é outra história rs.

    Sobre cerveja com gelo, tem a Honey Dew da Fullers que também é indicada para se tomar assim.

    É isso ai, abraços.

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      hahahaha…
      Então nem vou mais tentar diferenciar. Vou começar a falar que são cervejas de trigo. Ponto!

      Bom pelo menos eu “quase” acertei. Eu disse: “Mikkller” que é como ouvi alguns mais entendidos falando. Quase o “Mikkuller” que vc mencionou!
      Obrigado, Luquita. Sempre enriquecendo nossos posts.

      Abração!

      Reply
  5. Daniel Ideriba

    Por que colocaram uma cama elástica na cervejaria Harboes Bryggeri?
    R: Pro urso polar!

    Excelente EP! Abraços

    Reply
  6. Daniel Córdova

    Fala pessoal!

    Bem engraçado o programa hoje, o Gustavo deu umas escorregadas boas aí hahaha

    E já que ele tocou no tema, weizen se pronuncia “vái-t-zen”, com ‘t’ mudo, certo, Luquita?

    Lá pelas tantas na leitura de emails eu tava meio distraído mexendo no Beersmith aqui quando o Anselmo me chamou. Eita, que tão falando de mim? hahaha

    Mas é verdade, eu sou bem ressabiado com tudo que é de alumínio. Evito ao máximo. Tudo bem que as latinhas tem um verniz por dentro, mas qualquer amassadinha e quem me garante que esse verniz não quebra?

    Existem indícios que alumínio no nosso corpo pode levar ao Mal de Alzheimer.

    No entanto minhas cervejas de panela são feitas em caldeirões de alumínio, então sou um belo de um hipócrita né hahaha

    Tomei uma Harboe de trigo esses tempos atrás mas não era essa aí, era a Premium Wheat. Aquela da lata branca com azul. Achei boa, normal, nada de espetacular mas pelo preço em conta valia a pena.

    E gostei das informações geográficas sobre a Groenlândia. Não sabia que pertencia à América do Norte.

    Abraço!

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Valeu Daniel!
      E pode apostar que a maior parte das comidas cozidas que vc come é feita em panelas de alumínio. E bastante provavelmente não há nenhum verniz protegendo o alimento… kkkkkk

      Pô, Groelândia deve ser bem legal!
      Um dia vou fazer um cruzeiro por lá!

      Forte Abraço!

      Reply
      1. Daniel Córdova

        É verdade, almoço todos os dias em buffets e duvido que as panelas sejam algo diferente de alumínio.

        Mas aí a própria oxidação natural do alumínio cria uma película que protege da contaminação do alumínio puro (olha eu tentando justificar as coisas na minha cabeça pra não ficar noiado hahaha)

        De qualquer forma lá em casa as panelas de comida são todas de inox =)

        Reply
        1. Ricardo Shimoishi

          kkkkkk…
          Auto Proteção! É importante! Sabe que a sugestão ajuda a fazer as coisas funcionarem melhor?
          kkkkk
          Mas eu tb pretendo trocar todas as panelas de casa pelas de inox. As mais críticas nem são as de alumínio. São as as de teflon!

          Reply
  7. Ítalo Carvalho

    Bom episódio!
    Sobre a Groelândia: ela não é grande. Nos mapas que vemos comumente ela tem um tamanho próximo ao do Brasil, mas na verdade ela é beeeeeeeeem menor. Vemos ela muito grande porque ao transformar uma superfície esférica em outra plana, sempre haverá distorções. Como a maior parte dos mapas historicamente surgiu das mãos e americanos e europeus, eles escolheram o hemisfério norte como referência para fazer a transformação, aí tudo por lá fica hiperdimensionado.

    Reply
    1. Ricardo Shimoishi

      Fala, Ìtalo.
      Sim. Pode ser que algumas pessoas pensem que ela é gigante. De qualquer maneira, a Groelândia é maior ilha do mundo. Mas essa questão de geopolítica bem legal. Há muitos anos atrás, quando eu ainda dava aulas, fizemos um projeto pra tentar “resesenhar” o mapa mundi, colocando o hemisfério sul como se fora o do norte. Não deu certo porque na época nos faltava material de apoio. Foi pena pq essa questão daria uma ótima visão aos estudantes, fazendo-os entender que “ir para o sul” não signficar “ir para baixo”… haha Bons tempos!
      Abração!!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*