Boa Cerveja-Feira #184…. Arcener Tripel

Por | 8 de setembro de 2017

Esta semana vamos brindar ao Duque com a Arcener Tripel.

A Arcener é produzida pela cervejaria holandesa Hertog Jan, e já falamos um pouco sobre a cervejaria na coluna sobre a Barley Wine deles, a Gran Prestige.

Segunda a cervejaria esta é uma das cervejas mais marcante deles, com mais de 8% de graduação alcoólica muito bem inserida. Outro ponto interessante é que a cervejaria indica que a cerveja não seja consumida fresca, pois a segunda fermentação na garrafa é importante para dar notas mais ricas à cerveja.

O nome da cerveja é uma homenagem a região de Arcen, na Holanda, local da cervejaria.

Arcener Tripel

Dados Técnicos:

Cerveja: Arcener Tripel
Estilo: Tripel
Teor: 8,5%
País de origem: Holanda
Embalagem: 500 ml
Nota: 3,75

Ao servimos a Arcener vemos que se trata de uma cerveja dourada, brilhante e opaca, com espuma muito baixa e de pouca persistência.

O aroma apresenta percepção predominante de mel, noz moscada, frutas amarelas como damasco e doce de laranja, em segundo plano temos as notas de malte acompanhadas por notas de dulçor de açúcar de confeiteiro.

Ao provarmos vemos que a Arcener é uma cerveja de corpo alto e baixa carbonatação, enquanto que o paladar se apresenta adocicado com percepção de mosto, mel muito destacado e suave notas de própolis sendo acompanhada por notas de frutas amarelas como laranja de doce e damasco. Em segundo plano temos um amargor muito suave que remete a casca de laranja com toque herbal.

No aftertaste o dulçor ganha ainda mais destaque com notas de mel bastante destacadas acompanhadas por um final seco e suave aquecimento na garganta.

A Arcener é uma tripel com um dulçor muito agradável, com notas de mel, mosto e percepções frutadas de laranja e com um final seco e aquecido.

Para a harmonização vamos usar a força alcoólica da cerveja e as notas frutadas e de mel.

Minha sugestão é harmonizarmos com sobrecoxa desossada ao molho de mostarda e mel, salientando o sabor do mel e da carne, porem cortando excesso de dulçor com a picância da mostarda.

Prost!

Fabrizio Guzzon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*