Tour Cervejeiro: Nova Zelândia – A revolução cervejeira chegou na Terra Média!

Por | 15 de junho de 2015

O Flávio Yokooji acompanha a gente desde do início do Beercast. Já nos encontramos em eventos, trocamos mensagens e experimentamos suas cervejas de panela, muito boas por sinal. Quando soubemos que viajaria para a “Terra dos Hobbits”, não pensamos duas vezes em pedir que nos contasse suas aventuras cervejeiras aqui no site. Aproveite você também as dicas que o Flávio escreveu e descubra que vale a pena encarar essa longa viagem para provar boas cervejas.

Depois de 17hs de voo, e sentindo os efeitos do jet lag com as 15hs de fuso, eu já estava no meu primeiro brewpub neozelandês, o Brothers Brewery, para presenciar uma prática bem usual da cena cervejeira local: envasamento de cervejas “on tap” utilizando garrafas pets . O cliente compra 1,5L de cerveja e leva para casa em uma garrafa pet. Essa cena que se repetiu diversas vezes em todas as cervejarias e brewpubs visitados.

Além desse curioso fato, os consumidores usualmente pedem jarras de cerveja que contém um pouco mais de 1 litro para consumirem no local.

Garrafas pets do Garage Project

Garrafas pets do Garage Project.

Os neozelandeses, que se autodenominam “kiwi”, procuram consumir produtos locais. Há adesivos nas embalagens de chocolates, bolachas e até em roupas informando que são “Produtos Kiwi”. Não seria diferente com a cerveja. Os nativos seguem o tão difundido slogan “Support your local brewery” e todos os supermercados contam com uma boa variedade de cervejas artesanais do país. Até mesmo na maior rede de supermercado, a Countdown.

003

Gôndola do supermercado Countdown

Gôndola do supermercado Countdown.

Todos os bares cervejeiros têm tábua de degustação. O cliente escolhe entre 4 a 6 cervejas disponíveis em chopp no dia e paga-se um preço fixo. Média de NZD 15 por tábua.

Tábua de degustação da Brothers Brewery.

Tábua de degustação da Brothers Brewery.

Vamos falar do que interessa: as cervejas! Se há um adjetivo para qualificar a maioria das cervejas neozelandesas, essa palavra seria “frescor”. Pelo menos as degustadas in loco.  As pequenas distâncias do país (268 680 km²), juntamente com as matérias primas produzidas na região, fazem com que o ciclo produtivo até a mesa do consumidor não se alongue. Conferindo assim aquela sensação de cerveja que acabou de sair dos tanques de fermentação e maturação. Lembrando que para a maioria dos estilos, quanto mais nova a cerveja, melhor.

A Nova Zelândia é um país produtor de lúpulo com variedades exclusivas. Portanto, é comum encontrar IPAs em bares e restaurantes, mesmo aqueles que não são focados em cervejas artesanais, devido à abundância de matéria prima para o estilo. Por esse mesmo motivo, o dry-hopping é utilizado com frequência até em estilos que não são usuais.

IPA_Cruzeiro

IPA disponível no barco do cruzeiro em Milford Sound.

Chegou a hora de falar sobre Senhor dos Anéis! Em Hobbiton, set de filmagem que virou atração turística, também tem cerveja. Depois de um extensivo passeio, nos ofereceram uma stout e uma amber ale. Sim, breja de hobbits!Cerveja de Hobbit!

Cerveja de Hobbit!

Cerveja de Hobbit!

Encontrar lojas de insumos cervejeiros para homebrewers não foi uma tarefa fácil. Entretanto, apesar de poucos locais para compra, os equipamentos e ingredientes das lojas tinham muita qualidade. Panelas e conectores de inox, fermentadores de vidro, mangueiras assépticas, growlers e ingredientes variados. As seguintes variedades de lúpulo são encontradas facilmente: Motueka, Kohatu, Pacific Gem, NZ Cascade e o famoso Nelson Salvin.  Os lúpulos neozelandeses conferem aromas e sabores de frutas tropicais e cítricas.

008010

Foram 14 dias de viagem, 8 cidades visitadas, 2752km rodados, 46 cervejas degustadas e 8 brewpub visitados. Como o tempo era escasso e não era possível conhecer todas cervejarias do país, baseamos nossas prioridades nos melhores bares avaliados pelos usuários do ratebeer. Houve algumas decepções, mas abaixo você encontra o que há de melhor em Aotearoa*:

*Aotearoa é o termo o qual os nativos maoris chamam a Nova Zelândia.

Cidade: Auckland

Brewpub: Brothers Beer
Lembra do lúpulo citado no início desse artigo? Ele aparece aqui com muita intensidade. Foram 2 visitas ao local onde degustamos ótimas IPAs single hop com lúpulos locais. Fui com a camiseta da Mikkeler “Brewed for Brazil” a qual foi utilizada como gancho de uma boa conversa cervejeira.

Brothers Beer

Brothers Beer

Cidade: Rotorua

Brewpub: Brew
Bom para conhecer as cervejas da região e boa comida. As fabricadas no local não nos impressionaram.

Brew

Brew

Cidade: Wellington

Micro cervejaria: Garage Project
A melhor e mais inventiva cervejaria da Nova Zelândia! Esqueça o Reinheitsgebot. Aqui você encontrará a “Death from Above”, uma IPA inspirada em uma salada vietnamita.
O Garage Project não tem licença para vender cerveja para ser consumida no local. Entretanto, é possível comprar latinhas, garrafas e pets das suas invenções. É possível experimentá-las “on tap” antes de comprar.

Garage Project

Garage Project

Garage Project

Garage Project

BrewPub: Fork & Brewer
A maior carta “on tap” que encontramos na Terra Média. Tanto as produzidas localmente como de outras cervejarias. O brewpub tem uma boa estrutura e faz experiências com barris e brettanomyces.

Fork & Brewer

Fork & Brewer

Fork & Brewer

Fork & Brewer

Cidade: Queenstown

Liquor Store: Betty’s Liquor Store
Infelizmente, os bares e brewpubs de Queenstown ou estavam fechados para reforma ou nos decepcionaram. A sugestão é ir na Liquor Store que tem mais variedades e aproveitar no hotel.

Betty's Liquor Store

Betty’s Liquor Store

Abaixo, a lista de todas as cervejarias da Nova Zelândia que experimentamos pelo menos um rótulo. Espero que algumas dessas chegue por aqui:

  • Brothers Beer
  • Mac’s Brewery
  • Garage Project
  • Fork & Brewer
  • Liberty Brewing
  • Croucher Brewing Co.
  • Monteith’s Brewing Co.
  • Moa Brewing Company
  • Bach Brewing & Laughing Bones
  • Cassels & Sons Brewery
  • Kereru Brewing Company
  • Epic Brewing Company
  • Boundary Road Brewery
  • Renaissance Brewing Company
  • Founders Brewery
  • Panhead Custom Ales
  • The Twisted Hop Real Ale Brewery
  • Speight’s Brewery
  • Tui Breweries Ltd.
  • Hop Federation
  • 8 Wired Brewing Co.
  • Hallertau Brewbar & Restaurant.

Flávio Yokooji
Twitter: @fyokooji
Facebook: https://www.facebook.com/flavio.yokooji
Instagram: flavioyokooji

12 comentários para “Tour Cervejeiro: Nova Zelândia – A revolução cervejeira chegou na Terra Média!

  1. Pingback: Boa Cerveja-Feira.... com Hopwired IPA - Beercast Brasil

  2. Gabriela Aguiar Pizarro

    Adorei o post, legal ter uma visão tão detalhada e cuidadosa sobre as marcas mas principalmente sobre todo o processo cultural que envolve o consumo! O Flávio arrasa!!!

    Responder
  3. Fabrizio Guzzon

    Flávio, show de bola o relato… Nova Zelandia é um dos locais que quero conhecer ainda, e nem tinha pensando das cervejarias que poderia visitar.
    E o nivel do site esta demais… ninguem mais aqui vai de carro para beber, tem que ser de avião? rsrsrs

    Abç
    Guzzon

    Responder
    1. Flavio Yokooji

      Guzzon,

      Precisa ir. A NZ é muito mais que cerveja e Senhor dos Anéis. Melhor viagem que já fiz!
      Galera não viaja mais de carro porque é crime beber e dirigir. De avião, vamos de piloto amigo! Rs.

      Responder
  4. Daniel Córdova

    Fala Flávio!
    Muito legal o relato. Fiquei com vontade de mais e mais detalhes sobre as cidades, os bares, cervejas, comidas…
    Sou doido pra conhecer a NZ e o dia que eu finalmente organizar essa viagem vou voltar aqui pra procurar umas dicas suas.
    E deve ser demais morar um lugar com tanta variedade de lúpulo e frescor nas cervejas, ainda mais pros homebrewers que podem ter flores recém colhidas facilmente.
    Vc trouxe muito lúpulo de lá?
    Abraço

    Responder
    1. Flavio Yokooji

      Daniel,
      Adicione-me no facebook e vamos conversando. Não explanei muito mais para o texto não ficar grande e entediante. Procurei citar as curiosidades e os pontos altos.

      Responder
    2. Flavio Yokooji

      Comprei 600g de lúpulo. Trouxe em pellet, pois não tinha como transportar a flor na viagem.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*