Era uma vez o Pingo Bier…

Por | 4 de março de 2014

beernews_pingobier_materia_1

Uma das coisas básicas, que logo descobrimos quando nos interessamos por cerveja, tem a ver com o uso do sentido mais primário para a maioria das pessoas. É só olhar e já notamos que, na maioria dos casos, brejas diferentes têm colorações diferentes. É fácil notar pelas mesas dos bons bares os copos com líquidos que vão do amarelo pálido ao negro profundo. Não precisamos pesquisar muito para saber que a cor da cerveja é determinada essencialmente pelo malte e seu processo de secagem e torrefação. Quanto mais torrado, mais escuro o líquido obtido. Mas o que a vida prática nos ensina é que esse leque de cores não nos está disponível na maioria dos botecos por aí. No dia a dia só encontramos facilmente mesmo dois “tipos diferentes” de bebidas denominadas pelo mercado, genericamente, como Chope Claro e Chope Escuro. Daria para pensar: ” pelo menos tenho maltes de torrefação diferentes pra escolher”. Pior é que em muitos estabelecimentos não é bem assim. Pra simplificar mais ainda e facilitar a vida do comerciante, inventaram um produto, já há bastante tempo difundido no mercado, com o qual não é preciso se preocupar em adquirir “chopes diferentes” para agradar a freguesia. O proprietário compra o Claro, mas vende também o Escuro. Isso com a ajuda do milagre da química. Bastam umas gotinhas de PINGOBIER (www.pingobier.com.br) para um tipo de chope virar dois. Composição da maravilha industrial: caramelo de milho (como se essas brejas já não tivessem bastante milho), açúcar e água. E pode ser encontrado em frascos de 30 ou 100ml.

Se você ainda não conhecia, fique esperto com os chopes genéricos que anda pedindo nas praças de alimentação por aí! Além de pagar mais caro (geralmente o escuro custa mais), pode estar bebendo uma cerveja colorida artificialmente com corante.

Por Anselmo Mendo

7 comentários para “Era uma vez o Pingo Bier…

  1. Leonardo de Carvalho

    É só alguém mudar algo que logo se formam dois grupos, os que são contra e os que são a favor, independentemente do fato de terem entendido ou sequer experimentado.
    O Caramelo INS 150 , produto comercializado com o nome de Pingo bier, a saber, é utilizado em refrigerantes, energéticos, além de entrar na composição da grande maioria das cervejas escuras, que diga-se de passagem, sem ele, ficariam intragáveis.
    Claro que os puristas vão discriminar e os farristas andarão com ele no bolso !
    Se ainda hoje tem gente que não acredita, ter o homem pisado na Lua, como vamos acreditar que haverá apoio incondicional e irrestrito a qualquer ideia inovadora ?
    Num mundo em busca de inovação, respeito a diversidade e tolerância às diferenças, viva o Pingo !

    Responder
  2. Diego

    Sensacional esse produto.. pra quem não sabe, não é só o malte que altera a cor e sabor da cerveja…a Malzbier por exemplo é com caramelo na receita! Provei e achei demais! Parabens aos criadores desse produto, que pelo que pesquisei eles ganharam a patente! Gosto é gosto! =D onde encontro ? é só pelo site?

    Responder
  3. Marcelo J Bresciani

    Em uma noite do Sushi que fizemos na casa de um camarada compramos o Pingo Beer. É de um sabor agradável não muito doce e suave. Particularmente eu curti a brincadeira. Lá só tínhamos uma chopeira e a intenção era falar umas besteiras, comer peixe crú e tomas umas. Em analogia, não é a pureza literária de um Machado de Assis, mas ora ou outra você se diverte algo mais simples e sem muitas pretensões.

    Responder
    1. Renato Martins Autor

      É isso ai, Marcelo.

      Uma coisa é fato, você não pode ser enganado. Você não pode ir num bar comprar um chope escuro e o cara pegar o mesmo chope e pingar um corante… até pode, mas você tem que saber o que está comprando.

      Se você sabe, e principalmente, se você quer aproveitar aquilo naquele momento, é tudo ótimo!

      Gostei a sua comparação com literatura!!! hehe

      Grande abraço.
      Renato Martins

      Responder
  4. Rafaela Ivo

    O QUEEEEEEEEEE? Na boa, isso é a coisa mais absurda que eu já li nos últimos tempos. Primeiro, pra que criar algo assim? Muda o gosto do choppe? Se sim, muda pra melhor? Nossa, sério, isso é bizarro!

    Até agora tô tentando entender a necessidade desse produto ser vendido para consumidores e não comerciantes. Bizarrice extrema, mas valeu a dica!

    Um abraço!

    Responder
    1. Guzzon

      Rafaela, por ser um produto a base de caramelo de milho ele deve deixar o chopp mais doce. Mas tem muita cerveja escura que usa caramelo (de verdade) na sua composição para ficar mais escura e isso traz notas adocicadas para a cerveja.
      Então quando alguém usa isso, deve gerar um final mais doce na cerveja e acaba confundindo o cliente.
      Por isso que é melhor ficar longe destes chopps genéricos.
      Abç.
      Guzzon

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*