Boa Cerveja-Feira #286… Dark Sour Blueberry

By | 23 de agosto de 2019

Esta semana vamos confirmar o ditado que a fruta não cai longe do pé, com a Dark Sour Blueberry.

Este exemplar nacional de Oud Bruin foi desenvolvido pela Cervejaria Dádiva, E nem precisamos nos alongar muito sobre a cervejaria, afinal já é bastante conhecida no meio cervejeiro por trazer cervejas para todos os patamares de público.

A Dark Sour Blueberry pode ser considerada com uma filha da Dark Sour original da Dádiva. Isto pois ela é envelhecida por 8 meses nos mesmos barris de carvalho onde a Dark Sour foi envelhecida. Mas além disso ainda é adicionado doses maciças de mirtilo in natura, chegando a praticamente 40% do volume total.

Isso nos traz uma releitura da Dark Sour, mas ainda mais complexa.

Dark Sour Blueberry

Dark Sour BlueberryDados Técnicos:

Cerveja: Dark Sour Blueberry
Estilo: Oud Bruin
Teor: 5,2%
País de origem: Brasil
Embalagem: on tap
Nota: 4,25

Ao receber o copo vemos uma cerveja em tom rubro escuro, praticamente fechada. A espuma apresenta tom rosado, bolhas pequenas e ótima formação.

O aroma da Dark Sour Blueberry apresenta notas de balsâmico destacadas, acompanhada por notas de madeira e frutas vermelhas silvestres. Em segundo plano notas acéticas e um leve frutado.

Ao primeiro gole temos uma cerveja de corpo baixo e alta carbonatação. Enquanto que no paladar encontramos uma acidez marcante pautada pela percepção de vinagre balsâmico e leve amadeirado. Mas logo encontramos notas de frutas silvestres como framboesas, mirtilos e amoras. Em segundo plano ainda temos uma percepção discreta de baunilha, provavelmente oriunda da madeira.

Já o aftertaste é marcado principalmente pelo residual de acidez e carbonatação que gera uma percepção de refrescância bastante alta. Ao fim temos as notas de mirtilo e amoras persistindo por algum tempo.

A Dark Sour Blueberry é uma cerveja com um ótimo equilíbrio entre as notas ácidas e o frutado, mas com ambos acima da média. A cerveja abuso do uso de frutas, mas sem se tornar exagerada e o uso do envelhecimento em barris traz justamente o contraponto a estas notas.

Para a harmonização, optei por algo mais simples para manter a cerveja em destaque.

Minha sugestão é harmonizar com uma panna cotta de morangos. Vamos contrastar o dulçor da sobremesa com a acidez da cerveja e deixar os holofotes nas frutas silvestres usadas. Destacando ainda mais seus sabores por conta das especiarias da sobremesa e da madeira da cerveja.

Prost!

Fabrizio Guzzon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.