Boa Cerveja-Feira #267… Robert Burns

By | 12 de abril de 2019

Esta semana vamos visitar uma cerveja que faz uma homenagem a um poeta escocês, com a Robert Burns.

Esta cerveja é produzida pela Belhaven, uma cervejaria escocesa fundada em 1719, mas que foi adquirida pela conhecida Greene King em 2005.

A cerveja é uma homenagem a um famoso poeta escocês, que dá o nome a cerveja. Robert Burns (1758-1796) é conhecido como “Um dos maiores líricos da poesia universal”, palavras de Jorge Sena. Lendo as críticas e resenhas sobre as poesias de Robert Burns vemos algumas palavras que aparecem com frequência: Liberdade, erotismo, malicia, tom popular.

Olhando estas palavras, eu tenho quase certeza que Robert Burns escrevia suas poesias no ambiente do bar, que também compartilha de todos estes adjetivos.

Robert Burns

Robert BurnsDados Técnicos:

Cerveja: Robert Burns
Estilo: Brown Ale
Teor: 4,2%
País de origem: Escócia
Embalagem: 500 ml
Nota: 3,75

Ao servirmos a Robert Burns vemos uma cerveja castanha claro, com sutis reflexos vermelhos. A espuma se forma com boa qualidade e persistência.

O aroma é suave e delicado, que se apresenta aos poucos. As notas iniciais remetem a malte e um suave caramelo. Mas em segundo plano encontramos notas de café fresco e chocolate ao leite.

Ao provarmos temos uma cerveja de corpo e carbonatação médios. Enquanto que no paladar encontramos notas de torra suave, notas de café com leite, suave caramelo e malte discreto. Em segundo plano uma suave nota terrosa, toffe e mosto adocicado.

O aftertaste prima pelas notas de café, toffe e leve caramelo, aliado a um suave amargor que fecha a experiência da cerveja.

Após provar a Robert Burns a palavra que me vem à mente para descrever a cerveja é elegante. A maneira como os aromas e sabores se apresentam são sutis, mas sem abrir mão da complexidade.

Para a harmonização quero aliar duas características da cerveja, sua origem e a elegância do conjunto de aroma e sabores.

Minha sugestão é harmonizar com o pudim de pão e manteiga inglês, uma sobremesa típica do reino unido que além de usar os pães amanteigados usa creme de baunilha. E é nesta última parte que apoio a harmonização, usando o creme de baunilha para realçar a percepção de caramelo, toffe e café com leite da cerveja.

Prost!

Fabrizio Guzzon

2 thoughts on “Boa Cerveja-Feira #267… Robert Burns

  1. Anselmo Mendo

    As Belhaven são fáceis de achar por aqui, Guzzon. E acho que representam muito bem os estilos inglesas. Essa aí ainda não conheço. E muito boa a sua analogia pra chegar a conclusão que o Robert Burns escrevia poesias no ambiente do bar, hahaha.

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Anselmo.

      Sim, já havia tomado algumas da Balhaven, mas essa foi nova para mim. Acho que são cervejas bastante consistentes e falam muito da escola inglesa.

      E convenhamos que bar é ambiente de criação…. rsrsrs

      Abç
      Guzzon

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*