Boa Cerveja-Feira #245…. Catharina Sour Café

By | 9 de novembro de 2018

Se andam falando que a coisa azedou, também vou começar o mês de novembro azedando sua semana com um exemplar do primeiro estilo brasileiro, a Catharina Sour Café.

Esta cerveja é um exemplo de colaborativa, pois foram envolvidos quatro atores nesta produção. A Catharina Sour Café foi idealiza no Brasil Brau de 2017 entre 4 dos premiados no evento, a Revista da Cerveja e as cervejarias Perro Libre, Lohn e Companhia de Brassagem Brasil.

A Revista da Cerveja, premiada na categoria Comunicação da Cultura Cervejeira, foi responsável pela ação de marketing. A Perro Libre, que ganhou prêmio na categoria de design de embalagens, criou o rótulo da cerveja. A Lohn Bier  ganhou na categoria sustentabilidade e foi quem produziu a cerveja. Enquanto que a CBB foi premiada pela responsabilidade social e foi quem trouxe a ideia de destinar parte dos valores da venda para a APAE – Miranda/MS.

O detalhe desta cerveja está no café Bourbon de Minas, usado numa proporção 80% de torrado e 20% verde.

Catharina Sour Café

Catharina Sour CaféDados Técnicos:

Cerveja: Catharina Sour Café
Estilo: Catharina Sour
Teor: 4,6%
País de origem: Brasil
Embalagem: 300 ml
Nota: 3,75

No copo a Catharina Sour Café se apresenta amarelo palha e opaca. A espuma se forma branca com bolhas pequenas, porém relativamente breve.

O aroma de café verde e fresco é bastante evidente e agradável. Em segundo plano temos uma presença bastante discreta de malte e acético.

Ao provarmos a Catharina Sour Café podemos notar que se trata de uma cerveja de corpo baixo e alta carbonatação. Enquanto que no paladar encontramos um inicio acético, com azedo mediano e com leves notas láticas, frutado e herbal.

Mas é no aftertaste que a cerveja volta a trazer uma maior construção de notas, agregando a percepção de café verde, leve acético e final bastante seco e refrescante.

A Catharina Sour Café trás um inicio aromático e um final com aftertaste bastante rico, com um paladar simples e certeiro. O uso do café foi realizado muito bem, trazendo uma ótima composição e sem trazer notas de torra e sim um aromatico muito agradável de café verde.

Para a harmonização optei por tratar a cerveja como uma opção ao café, mesmo sendo muito mais leve e refrescante, mas ainda assim as notas aromáticas e o aftertaste agregam bastante.

Minha sugestão é harmonizar com trufinhas de chocolate ao leite, onde as notas azedas irão suavizar o dulçor do chocolate. Enquanto que a percepção de café irá destacar a percepção do cacau.

Prost!

Fabrizio Guzzon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*