Boa Cerveja-Feira #232…. Pfui Deifi

By | 10 de agosto de 2018

Vamos pegar uma das grandes tendências no universo cervejeiro e voltar alguns séculos até encontrar suas origens, e ver como eram diferentes, com a Pfui Deifi.

Esta cerveja é produzida pela The Monarchy. E falamos deles algumas vezes já, quando tratamos da Pimock, da Geisterzug, da Kwasimodo dentre outras.

Esta cerveja é considerada por eles como uma Gose com inspiração na Bavária (região da Alemanha, não nossa cerveja) e por conta disso usa erva doce, cominho e sal das montanhas da Bavária.

O nome da cerveja é uma expressão Bavara que pode ser traduzida, aproximadamente, como “Que diabos!”. A escolha do nome e do rótulo, a pintura “Bebida Amarga”, é por conta do perfil mais conservador da população da Bavária quanto a mudanças na cerveja, e no caso esta cerveja trás várias mudanças.

Pfui Deifi

Gose Bavaria Pfui DeifiDados Técnicos:

Cerveja: Pfui Deifi
Estilo: Gose
Teor: 6,0%
País de origem: Alemanha
Embalagem: 330 ml
Nota: 3,75

No copo a Pfui Deifi se apresenta amarela, cristalina e brilhante. A espuma se forma branca e uniforme, algumas bolhas maiores que as outras e uma duração breve para o estilo.

O aroma traz um leve acético, com percepção de especiarias como pimenta branca, cominho e com toque herbal limpo e muito fresco. Em segundo plano encontramos a presença discreta do malte e maça verde.

Ao provarmos a Pfui Deifi encontramos uma cerveja de corpo leve e média carbonatação. Enquanto que no paladar temos um início pautado pelas notas herbais e salgado com bastante destaque, seguido pela acidez neutra e limpa, notas condimentadas de pimenta branca e raiz de erva doce que trazem um herbal evidente. Em segundo plano e bastante discreto encontramos malte, uvas verdes e maça verde.

O aftertaste se mostra com acidez alta acompanhada pela percepção salgada e herbal. Tudo sem agredir o paladar ou se atropelar. Os sabores se equilibram tanto em potência quanto na duração.

A Pfui Deifi é uma gose que se coloca com influência bávara, mas que ainda traz muito do conceito original do estilo: Percepção salgada e herbal em um pano de fundo azedo.

Para a harmonização uma das características desta cerveja me chamou a atenção. A acidez, diferente da maioria das sour de hoje, não apresenta o toque cítrico e sim uma percepção bem mais neutra e limpa.

Minha sugestão é harmonizar com um risoto ao limone, desta forma agregamos o cítrico e frutado à acidez da cerveja. Enquanto deixamos as notas condimentadas da cerveja destacarem os sabores do risoto.

Prost!

Fabrizio Guzzon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*