Better Call Bruno: “Tchau Verão”

Por | 25 de junho de 2015

Pois é galera, o inverno chegou de vez e mandou o verão literalmente embora. Não estou falando do clima não, estou falando ‘da Verão’, sim a ex-musa da Itaipava. (1 minuto de silêncio)

propaganda-itaipava-verao-ml-volume-garrafa-lata-silicone

Recentemente, o CONAR, agência reguladora responsável por fiscalizar e coordenar toda a publicidade e propaganda que circula em nosso país, proibiu a nova campanha da Itaipava por infringir alguns princípios básicos do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária.

Portanto, vamos falar um pouquinho de como funciona a publicidade de bebidas alcoólicas e as leis brasileiras.
A partir de agora vou lhes mostrar os pontos mais interessantes da norma que trata especificamente das propagandas de bebidas alcoólicas:

O CONAR considera como bebida alcoólica toda aquela que como tal for classificada perante as normas e regulamentos oficiais, como ministério da agricultura por exemplo. Então, passemos a analisar especificamente como se dá a publicidade das bebidas. Abaixo seguem algumas regras que toda propaganda deve respeitar:

Regra geral: a bebida alcoólica é um produto de consumo restrito e impróprio para determinados públicos, portanto deverá ser estruturada de maneira socialmente responsável, sem se afastar da finalidade precípua de difundir marca e características, vedado o apelo ao consumo e a oferta exagerada de unidades do produto em qualquer peça de comunicação.

Proteção das crianças e adolescentes: a propaganda jamais terá crianças e adolescentes como público-alvo. Assim, em anúncios:
• não poderão nunca aparecerem crianças e adolescentes, e todos os atores e figurantes deverão ser e parecer maiores de 25 anos de idade.
• As mensagens serão exclusivamente destinadas a público adulto, deixando claro tratar-se de produto de consumo impróprio para menores.
• As propagandas não empregarão linguagem, expressões, recursos gráficos e audiovisuais reconhecidamente pertencentes ao universo infanto-juvenil, tais como animais “humanizados” (tartaruguinha da Brahma), bonecos ou animações que possam despertar a curiosidade ou a atenção de menores.

Princípio do consumo com responsabilidade social: a publicidade não deverá induzir, de qualquer forma, ao consumo exagerado ou irresponsável. Assim, diante deste princípio, nos anúncios de bebidas alcoólicas:
• eventuais apelos à sensualidade não constituirão o principal conteúdo da mensagem; modelos publicitários jamais serão tratados como objeto sexual (caso da Verão da Itaipava);
• a bebida jamais deverá ser mostrada como sinal de maturidade ou que ele contribua para maior coragem pessoal ou apresentadas situações que tornem o consumo do produto um desafio nem tampouco desvalorizem aqueles que não bebam;
• jamais se utilizará imagem ou texto que menospreze a moderação no consumo;
• não se associará positivamente o consumo do produto à condução de veículos;
• não se encorajará o consumo em situações impróprias, ilegais, perigosas ou socialmente condenáveis;
• não se associará o consumo do produto ao desempenho de qualquer atividade profissional;
• não se utilizará uniforme de esporte olímpico como suporte à divulgação da marca.

Horários de veiculação: os horários de veiculação em Rádio e TV, inclusive por assinatura, submetem-se à seguinte disciplinação:
• só serão veiculados no período compreendido entre 21h30 (vinte e uma horas e trinta minutos) e 6h (seis horas);

Cláusula de advertência: Todo anúncio, qualquer que seja o meio empregado para sua veiculação, conterá “cláusula de advertência”.
• “Se beber não dirija” e “Produto destinado para maiores de 18 anos”.

Por fim, toda a interpretação da norma acima, deverá ser a mais restritiva possível, em razão da natureza do produto. Uns podem achar as medidas um pouco duras, mas eu confesso que vi muita lógica em tudo. Pode até ser um falso moralismo, mas o assunto é sério e merece esse tratamento.

13 comentários para “Better Call Bruno: “Tchau Verão”

  1. Fabrizio Guzzon

    Bruno,

    Inicialmente havia achado a proibição da propaganda um pouco exagerada, mas lendo o texto fica claro que ela quebra uma das linhas, pois a modelo é coloca como um dos produtos. (mesmo que subjetivamente).

    E agora uma dúvida…. é fato que as propagandas de cerveja não podem mais apresentar o gole da cerveja seguido pelo clássico “Ahhh” de quem bebe? Não achei algo no texto que suporte isso…

    Abç
    Guzzon

    Responder
    1. Bruno Vallone Autor

      Guzzon,

      Eu não coloquei todos os pontos da norma, porque eram muitos, peguei só os principais. Mas lá existe um que diz:

      a)não conterão cena, ilustração, áudio ou vídeo que apresente ou sugira a ingestão do produto;

      É por isso que não pode mais aparecer o “Ahh”… e outra, lembra que escrevi no final do post que todos os pontos da norma deveriam ser interpretados o mais restritivo possível? Então.

      Abraço

      Responder
      1. Fabrizio Guzzon

        Valeu pelo esclarecimento Bruno!
        Mas não mostrar a ingestão é sacanagem…. só pq isso deixa qualquer um com água na boca? huehue

        Abç
        Guzzon

        Responder
  2. Luís Henrique Camargo

    Concordo parcialmente .
    O Conar está deixando nossas propagandas muito chatas.
    Nada pode?
    Quem deveria regular são os próprios consumidores. O que ofende afasta consumidores.

    Responder
    1. Bruno Vallone Autor

      As normas não deixam a propaganda chata. Acho que falta às cervejarias e às agências de publicidade um outro enfoque, quem sabe mais bem humorado.

      Esse foco em mulheres sensuais e no público masculino, é o que limita o meio.

      Pelo menos é o que eu acho. Afinal, as propagandas da Heineken, Guinness e outras, são sempre muito boas e não há nenhum apelo.

      Responder
      1. Ítalo

        Concordo plenamente! O que falta é vontade de botar a cachola pra funcionar por parte das agências de publicidade. E contratar mais mulheres para o criativo também seria bastante benéfico parar arejar as ideias. Pelo que sei, há pouquíssimas delas nesse setor, dentro das maiores agências do país.

        Responder
  3. Luís Loureiro

    Por isso sempre fico de olho nas propagandas da Heineken! Um show de como se fazer uma propaganda e como promover uma cerveja!
    Tchau Verão!

    Responder
  4. Daniel Córdova

    Fala Bruno!

    Sem contar essa parte da regulação, a grande falha de marketing dessas propagandas da “Verão” é que no fim do comercial ninguém se lembrava do nome da cerveja!

    Só lembrava do “vaaai verão, veeem verão”. Serviu mais pra promover a modelo do que a própria Itaipava.

    A Saint Bier está com uma série de propagandas muito bem boladas na TV e no rádio, mas acho que deve ser mais local. Talvez dê para encontrar no Youtube.

    Em uma delas o garçom é meio que o “santo” que traz a cerveja sagrada, bem legal.

    Abraço!

    Responder
  5. Ítalo

    Pois é, a campanha foi justamente tirada do ar… E não esqueçam daquela outra campanha vergonhosa que rolou no carnaval que dizia “Esqueci o ‘não’ em casa”. O brasileiro precisa aprender a divulgar cerveja sem se aproveitar da imagem feminina, será que é tão difícil assim?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*