Boa Cerveja-Feira…. com Slow Ride

Por | 15 de julho de 2016

Esta semana vamos curtir um bom rock’n’roll ouvindo e bebendo Slow Ride.

A produção da Slow Ride fica por conta da norte americana New Belgium, que mesmo estando no Colorado foi criado por conta de uma forte influência belga.

Em 1988 o fundador da cervejaria Jeff Lebesch fez uma viagem a Bélgica e visitou as vilas e cidades mais famosas pelas suas cervejas e cervejarias em sua mountain bike e isso fez com que ele tivesse a certeza que isso faria parte da vida dele por muito tempo.

De volta aos Estados Unidos ele fundou a New Belgium e lançou as suas duas primeiras cervejas, uma Dubbel chamada Abbey e uma Amber Ale chamada Fat Tire, uma referência aos pneus da mountain bike.

E uma empresa criada por alguém que anda de bike na Bélgica não poderia ficar no meio comum, a empresa como um todo tem uma visão muito pessoal dos seus objetivos e meios, buscando produzir não só cervejas que sejam colocadas entre as melhores, mas que isso seja algo que de prazer aos seus clientes e funcionários, alem de ter aulas de yoga para funcionários e o incentivo em trabalhar de bike.

Slow Ride

2016.07.15 Slow RideDados Técnicos:

Cerveja: Slow Ride
Estilo: Session IPA
Teor: 4,5%
País de origem: EUA
Embalagem: 355 ml
Nota: 3,25

Ao servirmos encontramos uma cerveja de um dourado vivo que chama a atenção, levemente opaca e com espuma branca e persistente.

No aroma encontramos notas de malte, toque cítrico e frutado que remete a maracujá, manga e mamão maduro. Em segundo plano encontramos notas herbais do lúpulo.

Ao provarmos notamos um líquido de corpo médio baixo e com média carbonatação, enquanto que no paladar as notas cítricas surgem em primeiro plano trazendo maracujá, manga, grapefruit e mamão com final fresco bastante perceptível e acompanhado de um amargor herbal baixo, as notas de malte se mantêm em segundo plano durante toda a degustação, apenas pautando os demais sabores.

O afterteste ainda trás as notas cítricas e a refrescância que notamos ao beber a cerveja acompanhada de um amargor herbal baixo, limpo e breve.

A Slow Rider é uma cerveja leve, cítrica e com frescor destacado, amargor baixo, suas notas finais trazem a percepção herbal suave.

Para a harmonização seria um descaso com a cerveja não usar as notas frutadas e frescas que ela apresenta.

Minha sugestão é harmonizar com um hot roll de salmão com molho teriyaki, onde vamos nos aproveitar das notas frutadas para destacar o sabor do peixe e deixar o amargor baixo quebrar o dulçor do molho sem afetar o sabor do prato.

Prost!

Fabrizio Guzzon

8 comentários para “Boa Cerveja-Feira…. com Slow Ride

  1. Pingback: Boa Cerveja-Feira.... com Fat Tire - Beercast Brasil

  2. Luquita da Cerveja

    Grande Guzzon, sempre trazendo boas novidades.

    Desta vez colaboro dizendo que essa cerveja “chegou”, junto com as Lagunitas, aqui no Brasil. Chegou entre aspas pq vc só vai achar em uma das lojas ali da liberdade, no Empório Azuki.

    Já combina com sua sugestão de harmonização, rs.

    Abraços

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Luquita,

      Cara, achei as brejas da New Belgian muito bacanas, se tivermos a opção de comprar por aqui será algo muito legal para o mercado cervejeiro nacional.

      Obviamente, dependendo do preço que ela chegar por aqui…. mas é uma baita cerveja…

      Abç
      Guzzon

      Responder
  3. Anselmo Mendo

    Tenho muita curiosidade pra conhecer essas cervejas da New Belgium, Guzzon. Mas me parece que produzem muitas IPAs e menos cervejas de inspiração Belga, não é? Você preparou esse hot roll de salmão com teriyaki pra ver como fica? Abração!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Anselmo,

      Eles tem bastante cervejas da escola americana, eu acho que o nome vem muito mais da inspiração e da viagem que o fundador vez até a Bélgica.

      E eu não fiz o hot roll… essa foi uma harmonização mais conceitual… rsrs… mas acredito bastante que fique uma boa combinação.

      Abç
      Guzzon

      Responder
  4. Daniel Córdova

    Fala Guzzon!
    Mais uma cerveja da tua viagem pros EUA? Já ouvi falar muito bem dessa cervejaria mas não sabia dessa história. Bem interessante.
    Legal que usaram uma garrafa que remete às garrafas trapistas da Westmalle e Westvleteren.
    Só cuida com essa foto com copo sujo porque se o Luquita ver ele vai mandar pro sommelier da depressão hahaha
    Abraço!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Daniel,

      Sim, esta é mais uma das brejas que provei de lá, essa eu bebi lá mesmo, bem trouxe na mala… gelei, bebi e anotei tudo… e não só as garrafas são legais como a arte dos rótulos também.

      E esse copo eu percebi o quão estava zoado quando fui procurar a foto para colocar no post… no dia eu nem percebi que estava assim…. e vou dizer… tem umas bolhas que eu ainda editei para ficar menos pior… rsrsrs

      Abç
      Guzzon

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*