Boa Cerveja-Feira…. com Olah Dubh 18

By | 11 de julho de 2014

Esta semana vamos falar de uma cervejaria escocesa que apresenta ótimas criações, e esta em especial mostra como o malte não é uma exclusividade das cervejas.

A Harviestoun Brevery é uma cervejaria relativamente nova, fundada em 1983, mas que tem uma carta de cervejas de fazer inveja a muitas cervejarias seculares. A Olah Dubh 18 que vamos falar é uma Porter, mais especificamente a Old Engine Oil deles, maturada em barris de carvalho que foram usados na fabricação e envelhecimento do whisky Highland Park 18, que lidera a lista dos 110 melhores destilados do mundo.

Colocar uma Porter puro malte de ótima qualidade para maturar em um barril de whisky 18 anos puro malte, considerado o melhor produzido na atualidade não poderia dar algo menos que fantástico.

E uma curiosidade sobre a cervejaria, que tem como símbolo um camundongo, é que de fato nos idos de 1991 eles tiveram uma mascote inesperada, um camundongo no estoque de malte que foi apelidado de “Harvey the Mouse”, e é usado até hoje na comunicação visual da cervejaria.

Olah Dubh 18

Dados Técnicos:

2014.07.11 Olah Dubh 18Cerveja: Olah Dubh 18
Estilo: Wood Aged Beer
Teor: 8,0%
País de origem: Escócia
Embalagem: On Tap

Quando recebi o copo encontrei um liquido negro, completamente opaco com uma espuma baixa, mas de longa duração.

No aroma temos notas de malte, café, toffe e um licoroso que me lembrou licor de jabuticaba, em segundo plano as notas amadeiradas do whisky se mesclam ao chocolate amargo.

Quando provamos temos um líquido denso que preenche toda a boca e uma baixa carbonatação.

No sabor reencontramos as notas de malte, frutado e o licoroso com notas de jabuticaba e frutas pretas secas, como ameixa e uvas, em segundo plano encontramos as notas amadeiradas que acompanham as notas de whisky e o amargor da tosta que se aproxima do chocolate amargo.

No aftertaste temos a predominância das notas alcoólicas licorosas e frutadas acompanhadas pelas notas de malte e chocolate amargo.

Esta é uma cerveja complexa que brinca com os sentidos trazendo notas que vão desde o malte até o whisky passando por notas frutadas e licorosas que finaliza a degustação de maneira saborosa e aveludada.

Para harmonizar esta cerveja, vou sair do ramo culinário. Quando provei esta cerveja no La Maison de lá Bierre eles me ofereceram como cortesia uma cigarrilha Cohiba, legitimo tabaco de charuto cubano, e de fato é uma harmonização muito agradável, as notas de tabaco e herbais da cigarrilha combinam muito bem com as notas licorosas e com a tosta da cerveja, e o álcool da cerveja não deixa o tabaco se sobrepor a cerveja.

Prost!

Fabrizio Guzzon

19 thoughts on “Boa Cerveja-Feira…. com Olah Dubh 18

  1. Pingback: Boa Cerveja-Feira.... com Ola Dubh 1991 - Beercast Brasil

  2. Daniel Córdova

    Nossa, belíssima cerveja. Estou também há um tempinho me segurando pra comprar sempre que vejo por causa do preço.
    Tinha gelada à 32 reais num pub aqui em Palhoça/SC (10km de Floripa).
    Ah! Estava lendo os comentários aqui e bebi nesse mesmo pub uma Brooklyn Sorachi Ace na pressão e tava boa demais! Bem fresca mesmo. Já tomei outras vezes em garrafa e foi visível a diferença no frescor.
    Também tinha Brooklyn Hammarby Syndrome on tap. Essa deixo pros profissionais analisarem, mas é muito especial.
    Abraço

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Daniel,
      Pelos preços que vi aqui em SP, 32 reais numa Olah Dubh 18 esta muito bom, vale a pena comprar…
      E depois passe a indicação deste pub, a seleção dele me parece muito boa, ainda mais tendo on tap
      Abç
      Guzzon

      Reply
      1. Daniel Córdova

        Opa, também achei o preço bom da Olah Dubh, mas naquele dia preferi investir nas Brooklyn hehe

        O Pub é o The Liffey Brew Pub pt-br.facebook.com/theliffeybrewpub

        Fazendo um jabá de grátis aqui, no dia que fui tinha várias opções On Tap. Famosas mesmo essas duas Brooklyn, o restante eram cervejas próprias (bebi uma Red Ale mas achei caramelizada demais) ou de produtores da região.

        Além das opções em garrafa, mas nesse dia só tomei as da pressão mesmo.

        Quando vierem aqui pros lados de Floripa podemos combinar um encontro lá.

        Abraço

        Reply
        1. Fabrizio Guzzon Post author

          Daniel,
          Tenho ido pouco para Floripa nos ultimos anos, mas dá próxima vez que for aviso por aqui e vou querer conhecer este pub sim.
          Abç
          Guzzon

          Reply
  3. Vinicius Rodrigues

    Outra que está na fila faz tempo, mas era bem cara a que vi, achei melhor pra deixar pra outro dia.
    Gostei da resenha, fez eu me arrepender de ter sido pão duro.

    E outra. É socialmente aceitável hoje em dia sugerir harmonização com cigarrilha? Rs

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Vinicius,
      Achei a long neck meio cara mesmo, mas na pressão estava um preço mais justo (perto de 20 reais) e valeu muito a pena.
      Quando a ser socialmente aceitável… bem, já estamos falando em bebidas alcoólicas então o público é 100% é maior de idade, e uma cigarrilha cubana não é algo para se fumar todo o dia… é bem diferente de uma harmonização de Kaiser com Luck Strike… rsrsrsrsrs
      Abç
      Guzzon

      Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Adalba, eu achei muito boa! Vamos marcar de visitar este empório, vale a pena.
      Abç
      Guzzon

      Reply
  4. Anselmo Mendo

    Tomará que tenham resolvido o problema com os camundongos 😀
    Guzzon, notas de jabuticaba é coisa de sommelier brasileiro, certo? Ou isso entra na conversa dos gringos?
    Muito bom o texto, mais uma pra minha lista de desejos.

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Anselmo,
      Como acharam o camundongo em 91, ou ele não esta mais lá ou virou sócio… rsrsrs
      E as notas de jabuticaba foi percepção minha, não sei se os gringos teriam este tipo de referência… O interessante é que algumas coisas são universais, como quando falamos de citrico, floral, pão… e outras coisas são mais especificas, pois são mais vinculadas ao regional.. jabuticaba é um caso, assim como rapadura em algumas cervejas que temos no Brasil, dificlmente um gringo teria essa referencia.
      E quando quiser conhecer este empório é só avisar, SRoque é do lado de SP.
      Abç
      Guzzon

      Reply
        1. Fabrizio Guzzon Post author

          Qdo vier avisa que passo um roteiro legal para vcs visitarem
          Abç
          Guzzon

          Reply
  5. Lucas Zurwellen

    Caraca esse La Mansion não está de brincadeira heim hahaha que harmonização foda, precisamos marcar pra ir beber lá Guzzon!

    Não tomei essa Oloh Dubh mas já tive o prazer de tomar outras edições fodas tanto quanto!

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Luquita, o La Maison esta com uma ótima carta.
      Quando me avisaram que engataram o Olah Dubh não consegui resistir, fui provar e não me arrependi.
      Por sinal, engataram o Sorachi Ace da Brooklyn esta semana…. acho que vou hoje provar. Qdo você quiser passar lá para beber uma me avise que te encontro por lá!
      Abç
      Guzzon

      Reply
        1. Fabrizio Guzzon Post author

          Pode deixar Vinicius! Vou convencer o Luquita a marcar um encontro lá em São Roque ainda… rsrs

          Reply
          1. Lucas Zurwellen

            Ai não precisa me convencer mas ao resto do pessoal da confraria! Rs…

            Tomei a Sorachi no Brew Dog Bar, uma das minhas brejas favoritas.

          2. Fabrizio Guzzon Post author

            Neste mês já esta definido, mas vamos ver no próximo! Vamos convencer o pessoal de SP a vir para o interior beber…. mas já aviso que o metro mais próximo fica a uns 60 Km de distância…. rsrsrs
            Abç
            Guzzon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*