Boa Cerveja-Feira…. com Nanny State

By | 30 de outubro de 2015

Esta semana vamos dar adeus ao mês da Oktoberfest e recarregar as baterias com a Nanny State.

A Nanny State é produzida pela escocesa Brewdog e chega a ser até difícil querer apresentar a Brewdog dado o quão famosa é esta cervejaria.

Apesar de ser uma cervejaria relativamente nova, fundada em 2007, ela movimenta o mercado britânico e mundial de maneira vigorosa. A Brewdog criou cervejas com mais de 30% de álcool que gerou uma movimentação no mercado para criação de cervejas extremas, hoje o titulo de cerveja mais forte esta com a Brewmeister Snake Venom com cerca de 67,5% de álcool.

Além disso, a Brewdog e outras cervejarias lutaram para modificar a legislação cervejeira britânica em 2011, e em 2012 bateu de frente com a gigante Diageo quando esta tentou impedir que seus bares ganhassem o titulo de “bares melhores geridos” da Escócia.

Quanto a cerveja de hoje o termo Nanny State é usado para designar todas as políticas estatais que visam proteger o cidadão dele mesmo, seja via proibição daquilo que o estado considera perigoso para o individuo ou via subsídio quando estado acha que a população não é capaz de se virar sozinha. Em resposta as alegações de que a Brewdog cria somente cervejas extremas, eles optaram por criar uma cerveja que age nos moldes da política do Nanny State, então eles criaram uma Pale Ale com 5 lúpulos americanos e 8 tipos de malte mas sem álcool, assim a cervejaria protege você de você mesmo e ajuda na recuperação de um mês inteiro de Oktoberfest.

Nanny State

Dados Técnicos:

2015.10.30 Nanny StateCerveja: Nanny State
Estilo: Sem Álcool
Teor: 0,5 %
País de origem: Escócia
Embalagem: 330 ml

Ao servimos a Nanny State encontramos uma cerveja castanha, cristalina com espuma alta e duradoura, mas com bolhas um pouco maiores que o esperado.

Temos um aroma marcante de lúpulo cítrico e herbal com notas de maracujá, casca de laranja, lima e malte.

Ao provarmos vemos que a cerveja tem corpo baixo e média carbonatação, enquanto que no paladar ela surpreender pelo inicio levemente adocicado com notas de malte e caramelo para logo termos o impacto do amargor do lúpulo que surge de maneira inesperada com notas cítricas e herbais de pinho, capim limão e cidreira.

No aftertaste as notas herbais se mantêm presentes lembrando um pouco erva mate, enquanto que o amargor desaparece da mesma maneira que surgiu.

A Nanny State é uma cerveja leve, refrescante e ainda assim com um amargor muito presente, complexa e agradável. O fato de ser sem álcool chega a passar despercebido.

Para a harmonização vamos procurar algo que nos ajude a recuperar as baterias, mas não precisamos ir muito longe da culinária alemã e vamos para um prato da região do Cantão de Berna, a parte “alemã” da Suíça.

Eu proponho uma batata rosti, recheada com tomates frescos, cebola caramelizada no azeite e queijo emmental. Além de ser um prato saboroso e leve, temos uma boa combinação de sabores para a cerveja.

O queijo emmental, ou suiço, trás uma leve picância que combina perfeitamente com as notas mais amargas da cerveja, enquanto que a as notas herbais da cerveja são bastante destacadas.

2015.10.30 Nanny State Harmoniza

Prost!

Fabrizio Guzzon

7 thoughts on “Boa Cerveja-Feira…. com Nanny State

  1. Pingback: Boa Cerveja-Feira.... com Elvis Juice - Beercast Brasil

  2. Daniel Córdova

    Dae Guzzon!

    Cara, tá todo mundo bebendo essa cerveja, pelo jeito vou ter que pegar ela logo pra não ficar de fora da brincadeira hehe

    Gostei do “protege você de você mesmo”. Tem rolado muito disso no Brasil ultimamente.

    Essa batata rosti deveria estar sensacional! Sorte que hoje li tua coluna depois do almoço hehe

    Abraço!

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Daniel,

      A batata ficou boa, mas por pouco não perco ela… deixei cozinhar de menos… tive que voltar para a fervura para corrigir antes de colocar na frigideira.

      O estamos saindo de um estado que protege você de você mesmo para um onde a gente que se proteger do estado… rsrs…

      Abç
      Guzzon

      Reply
  3. Anselmo Mendo

    Guzzon, a analogia do “protege você de você mesmo” e as explicações sobre isso foram as melhores até agora para dar sentido a uma cerveja, muito bom! Tá lindão o “omeletão”, esse foi feito em casa?

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Anselmo,

      Quando fui pesquisar sobre a cerveja, achei muito legal a motivação deles para o nome e isso no Reino Unido é muito forte… muito mais que no Brasil.

      E a batata eu fiz aqui em casa mesmo, é relativamente simples, só precisa ter paciência… rsrs

      Abç
      Guzzon

      Reply
  4. Luquita

    Fala Guzzon, finalmente uma que bebi também.

    Porém não curti essa breja, achei o amargor dela muito persistente, empreginou mesmo, mas é bem acima das sem álcool comuns, lembra em nada aquelas águas sujas.

    Contudo encontrei opções mais agradáveis de sem álcool na Alemanha, eles estão bem a frente neste quesito.

    Recomendo que na próxima visita ao Villas veja se ele ainda tem a dele sem álcool, achei mto agradável.

    Abraços

    Reply
    1. Fabrizio Guzzon Post author

      Grande Luquita,

      O amargor dela é bem presente mesmo, um toque herbal persistente que lembra erva mate… tbm senti, mas não me incomodou tanto.

      Perto das american lager sem álcool ela esta bem acima.

      Eu provei algumas alemãs sem álcool já, mas como já tinha falado de uma no começo deste ano, busquei uma sem álcool que tivesse algo de diferente, e essa é bem diferente!

      E da próxima vez que for no Villas vou perguntar pela sem álcool dele, nem sabia que ele tinha feito uma destas.

      Abç
      Guzzon

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*