Boa Cerveja-Feira…. com Insana Pinhão

Por | 17 de junho de 2016

Para aproveitar este friozinho fora de hora, pelo menos por aqui, vamos nos esquentar com a Insana Pinhão.

Produzida pela paranaense Insana esta cerveja é uma barley wine que traz um ingrediente comum a região da cervejaria, o pinhão. O lançamento ao final de 2014 desta edição limitada contou com 15.000 garrafas e por sorte algumas resistiram e puderam ser encontradas já amadurecidas quase um ano mais tarde.

Uma curiosidade sobre a cervejaria é que ela foi fundada por três amigos cervejeiros caseiros e recebeu este nome pois todos diziam que era uma insanidade investir nisso. Felizmente a insanidade deles deu resultado e hoje a cervejaria com uma área de 30.000m² e 750m² de área construída, um espaço gourmet para clientes, jardins e uma bela paisagem.

E esta não é primeira vez que esta cerveja aparece aqui no Beercast, no período do lançamento o Anselmo fez um artigo sobre a arte do rótulo que vale a pena ser lido.

Insana Pinhão

2016.06.17 Insana PinhãoDados Técnicos:

Cerveja: Insana Pinhão
Estilo: Barley Wine
Teor: 8,5%
País de origem: Brasil
Embalagem: 300 ml
Nota: 3,25

Ao servirmos encontramos uma cerveja âmbar, levemente opaca com espuma baixa e de pouca duração, provavelmente por conta do teor alcoólico.

No aroma a Insana Pinhão se apresente levemente alcoólica, licorosa, com malte em destaque e com notas oleaginosas do pinhão. Em segundo plano encontramos um leve amadeirado e notas de ameixa.

No paladar ela apresenta corpo alto e média carbonatação, e novamente encontramos o malte em destaque acompanhado pela leve percepção de torra, caramelo  e açúcar queimado acompanhado por notas herbais e oleaginosas com toque levemente amadeirado, o amargor se apresenta constante com toque herbal e em baixa intensidade.

No aftertaste é levemente amarga, com notas de pinhão mais presentes juntamente com a percepção de caramelo e açúcar queimado.

 A Insana Pinhão é uma cerveja densa que apresenta notas licorosas e amadeiradas com toque de caramelo e com o aftertaste trazendo as notas de pinhão como assinatura.

Para harmonizar esta cerveja vamos buscar algo que realce suas notas e que combine com o clima frio que ela ajuda a esquentar.

Eu proponho carne de panela com pinhão e torradas. Vamos contrastar as notas de caramelo e açúcar queimado da cerveja com carne e seu caldo mais salgados, deixamos o pinhão para fazer a ponte e destacar as notas do aftertaste. E uma dica, é podemos colocar um cálice de conhaque no final do preparo da carne de panela que trazer uma nota mais amadeirada para a carne também.

 Prost!

Fabrizio Guzzon

10 comentários para “Boa Cerveja-Feira…. com Insana Pinhão

  1. Luquita da Cerveja

    Essa eles precisam fazer outra vez, corrigindo um pouco. Qdo tomei tava mto jovem e com poucas características de BW e pinhão, já tomei outras com pinhão que eram bem melhores.

    Mas tenho curiosidade pra saber de alguém que guardou para ver se ela está melhor. Não sei se foi o seu caso.

    Abraços

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Luquita!

      Talvez pela cerveja esta no limite da validade, o pinhão se apresentou bem mais no aftertaste.

      As notas oleaginosas de noz, castanha e pinhão também estavam bastante presentes. Acho que a guarda melhorou a cerveja pela comparação com a sua percepção.

      Abç
      Guzzon

      Responder
  2. Anselmo Mendo

    E aí Guzzon? Essa aí é daquele primeiro lote? Não voltaram a fazer? Lançaram no primeiro Degusta Beer, foi lá que provei e onde também conheci o Matheus Hass que criou o rótulo. Em alguns lugares do sul e mais frios, como a Serra da Mantequeira, a gente encontra pinhão jogado no chão por todo lado. Aqui em São Paulo vendem super caro. Em São Roque é fácil encontrar?

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Anselmo!

      Pelo que vi é sim do primeiro lote. O vencimento dela era final de 2015, 12 meses depois do lançamento em 2014.

      Deixei mais alguns meses de guarda antes de abrir e estava bem legal a cerveja,

      Aqui em São Roque, a uns 10/15 anos atrás era bastante comum encontrar pinhão, hoje é bem menos… mas quando é época de pinhão as feiras sempre tem os produtores vendendo a granel… acho muito bom pq são super frescos, normalmente coletados na semana.

      Abç
      Guzzon

      Responder
  3. Daniel Córdova

    Fala Guzzon!
    Será que essa cerveja foi produzida novamente? Acho que ainda tem uma ou outra garrafa nos mercados por aqui, vou dar uma garimpada e botar na adega pra envelhecer mais um tempo.
    Quando tomamos em 2014 não achamos lá essas coisas. Não sentimos o gosto do pinhão, mas talvez agora um tempo depois quem sabe ele apareceu.
    Estou com um saco de pinhão que trouxemos do sítio fim de semana passado e vc me deu uma boa ideia. Vou inventar uma carne ensopada e jogar pinhão junto.
    Valeu!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Daniel!

      Pelo que procurei só houve uma produção mesmo… se você encontrar serão cervejas que já estão a praticamente 1 anos e meio em guarda.. mas pela que eu tomei ainda valem bastante a pena provar.

      Eu acho que a guarda destacou as notas de pinhão e notas oleaginosas, nem tanto no sabor, mas no aftertaste eu notei com mais intensidade.

      Abç
      Guzzon

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*