Boa Cerveja-Feira…. com Bersalis Kadet

Por | 8 de abril de 2016

Esta semana vamos descobrir que o conceito de session pode ser usado sem estampar o rótulo com a Bersalis Kadet.

A Bersalis Kadet pertence a cervejaria belga Oud Beersel, fundada em 1882 e que hoje tem um portfólio rico em cerveja dos estilos Lambic, Geuze, Kriek e outras que compartilham do uso de fermentação espontânea, as duas únicas cervejas da Oud Beersel que fogem a esta regra são a Bersalis Tripel e a Bersalis Kadet.

A Bersalis Kadet é uma versão de baixo teor alcoólico de uma Tripel belga, e até poderia ser chamada de “session tripel”, mas eles optaram por simplesmente chamar de Blond Ale.

Outra curiosidade é que a cerveja não é produzida na fábrica da Oud Beersel e sim em uma parceira, a cervejaria Huyghe Brewery, conhecida pelas suas próprias cervejas, talvez a mais conhecida seja a Delirium Tremens.

Bersalis Kadet

2016.04.08 Bersalis KadetDados Técnicos:

Cerveja: Bersalis Kadet
Estilo: Belgian Blond Ale
Teor: 4,5%
País de origem: Bélgica
Embalagem: 330 ml
Nota: 3,5

No copo vemos uma cerveja dourada, cristalina, com espuma densa e de ótima formação que persiste no copo por um bom tempo.

No aroma encontramos notas suaves de frutas amarelas como damasco, alem do malte que surge de maneira mais discreta.

Ao provarmos encontramos uma cerveja de corpo baixo e carbonatação mediana, enquanto que no sabor a Bersalis Kadet mantêm as notas de frutas amarelas, dulçor de malte e notas levemente adstringentes que remetem a casca de laranja e grapefruit.

No aftertaste encontramos notas frutadas de casca de laranja, malte, adstringência bastante presente e um amargor mediano com notas de casca de frutas e um final bastante seco.

 A Bersalis Kadet se apresenta como uma cerveja frutada, adstringente, seca e com amargor suave e de breve duração, entregando os aromas e sabores de uma tripel porem com notas alcoólicas e corpo suavizados.

Para a harmonização buscaremos destacar o mais característico desta cerveja, as notas frutadas e adstringentes.

Para isso eu proponho crisps de frango acompanhado de creme de queijo brie. As notas frutadas e o toque de casca de laranja farão o papel de destacar o sabor do frango, enquanto que a adstringência irá destacar o sabor do queijo brie.

Prost!

Fabrizio Guzzon

5 comentários para “Boa Cerveja-Feira…. com Bersalis Kadet

  1. Lucas F. Zurwellen

    Adoro os Belgas e o foda-se para o estilo da minha cerveja rs…

    De qualquer forma, tendo como referencia a Session Tripel da Landel, acho que é um estilo que o Session não se aplica. Apesar do álcool mais baixo a cerveja continua parruda e não da pra tomar muito, acredito que essa tb siga a mesma regra.

    Abraços Guzzon

    Responder
  2. Anselmo Mendo

    Boa Guzzon! Mais uma que eu não conheço. Ainda tenho um certo preconceito com as sessions ou “baixos teores”. Fico com a impressão de que era algo que deveria ser uma coisa mas acabou saindo outra. Mas sei que é birra minha. Ao contrário do Córdova eu gosto do Brie, apesar que prefiro aqueles outros com mais potência, mas nesse caso aí acho que casa bem com o frango e a cerveja. Também surpresa pra mim que a Bersalis vem do mesmo lugar da Delirium. Boa história. Abração!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Anselmo,

      Quando vejo session no rotulo tbm fico com o pé atras, me parece que poderia ser descrito como outro estilo e estão colocando um session ali meio que sem motivo, mas no caso da Bersalis Kadet é interessante que eles não colocam este termo, eles tem a Bersalis Tripel e a Bersalis Kadet, que é a Tripel com baixo teor alcoólico. Para mim parece mais autentico.

      Abç
      Guzzon

      Responder
  3. Daniel Córdova

    Fala Guzzon!

    Cerveja legal essa, dei nota 4 quando provei. Uma session tripel mesmo, não tem melhor definição. Ou uma blonde ale mais condimentada também, será?

    Não sabia que essa era feita na fábrica do elefantinho. Eles fazem tantas coisas que a gente nem sabe. Aquela Averbode também é feita lá.

    Boa harmonização, apesar que eu ainda continuo com minha intolerância psicológica ao brie. Há um tempo atrás peguei uma virose estomacal e a última coisa que lembro de ter comido antes de passar mal foi queijo brie, mais precisamente a casquinha dele. Sei que provavelmente não foi ele, mas ainda fico enjoado só de lembrar da casquinha dele hahaha
    Aliás, fiquei aliviado que no Beercast vc recomendou não comer a casca do brie, achei que eu estava cometendo sacrilégio quando tirava ela.

    Abraço!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Daniel,

      A cervejaria mesmo chama de tripel de baixo teor alcoólico, que pode ser interpretado como uma session. Eu gostei da ideia, principalmente por eles não rotularem como session.

      O brie eh um queijo bacana, só tem que tomar cuidado em não consumir a casca em excesso, porque no fundo, aquilo eh um tipo de mofo usado na fabricação do queijo.

      Abç
      Guzzon

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*