Boa Cerveja-Feira #169…. com Fellas

Por | 26 de maio de 2017

Esta semana vamos seguir os conselhos dos cervejeiros e misturas as coisas trazendo cerveja e cinema, com a Fellas.

Produzida em conjunto pelas cervejarias Dama, Bodebrown e SudBrau em Piracibada, sede da Dama. Esta cerveja é resultado da busca dos mestres cervejeiros por uma Imperial IPA diferente de qualquer coisa que o mercado já tivesse visto, e com isso surgiu a Fellas, uma cerveja com notas extremas e com a adição de uma linha premiada de café 100% arábica da Café Morro Grande de Piracicaba.

Outra curiosidade é que o nome da cerveja remete ao filme Goodfellas, traduzido aqui no Brasil para Os Bons Companheiros, um dos melhores filmes sobre gangsters. A atuação de Joe Pesci lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante em 1991, e um exemplo do motivo para ele ter ganho este Oscar e a improvisação que ele realiza na cena com o ator Ray Liotta, onde ninguém esperava que ele questionasse o motivo de terem o achado engraçado daquela maneira.

Fellas

Dados Técnicos:

Cerveja: Fellas
Estilo: Imperial IPA
Teor: 9,0%
País de origem: Brasil
Embalagem: 355 ml
Nota: 4,0

Quando servimos a Fellas encontramos uma cerveja âmbar intensa, opaca e com espuma branca e baixa porem com boa persistência.

No aroma encontramos a percepção de lúpulo cítrico e herbal com notas de casca de laranja e em segundo plano encontramos um equilíbrio fino entre as notas café verde, malte e um suave caramelo.

Ao provarmos encontramos uma cerveja de corpo alto e média carbonatação, enquanto que no paladar o café verde ganha força e é equilibrado com a percepção cítrica do lúpulo e a presença levemente adocicada do malte, alem da presença de um amargor bastante presente, limpo e agradável. Já em segundo encontramos notas de casca de lima e notas herbais.

O aftertaste conta com a presença de café verde e suave cítrico, com final com malte suave. Mantendo a percepção de amargor cítrico persistente ao final da degustação.

A Fellas é uma cerveja com tudo que se espera de uma IPA, mas com a inserção equilibrada de café para trazer notas inesperadas a uma cerveja que já trás as notas cítricas, maltadas e amargor persistente que esperamos.

Para a harmonização, vou usar o fato de boa parte do filme Os Bons Companheiros se passar em bares e trazer um lanche e/ou petisco que pode acompanhar um bom bate papo com seus amigos gangsters.

Eu proponho um buraco quente com um toque de café no molho e fechado com parmesão, a carne bem temperada e o toque salgado do queijo são ótimos para contrastas com o toque maltado e cítrico da cerveja enquanto que o toque de café do molho faz a ligação com o café da cerveja.

Prost!

Fabrizio Guzzon

8 comentários para “Boa Cerveja-Feira #169…. com Fellas

  1. Luquita do BeerCast

    Grande Guzzo, essa realmente é fenomenal.

    O Anselmo fala em café verde e que realmente parece ter mas já ouvi muito falar que o uso de café verde não é viavél mas é só um tipo de café que parece ficar mais verde mesmo.

    Eu, apesar de não curtir café, gostaria de aprender mais sobre o produto.

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Luquita,

      Pelo que sei o café verde é o café antes da torra, e o pessoal (normalmente) não a bebida com este tipo de grão…

      Tem gente que uso em capsulas como suplemento e tem alguns extratos de café verde que usam em sucos, vitaminas e afins, tanto pelo gosto quanto pela cafeina.

      Mas uma coisa que é bem distinta entre o café torrado e o café verde é que o aroma do café verde não tem essa percepção de torrefação, e´como se ele fosse um aroma mais suave… é bem legal comparar se vc tiver uns gráos de café verde…

      Abç
      Guzzon

      Responder
  2. Anselmo Mendo

    E aí Guzzon, blz? Já li a respeito da improvisação na cena do bar, mas cara, tenho lá minhas dúvidas se foi tão improvisada assim. Saudade de bons filmes do gênero, não vemos faz tempo coisas como Goodfellas. Ainda não provei a cerveja, mas principalmente por causa do café verde, estou ainda mais curioso. Concordo com o Córdova, a facilidade que temos de ter acesso a bons cafés deveria ser motivo para as cervejarias investirem mais nessa pegada. Abs!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Anselmo,

      Eu dei uma olhada sobre essa improvisação e pelo que vi era, e ainda é, algo que o Scorcese incentiva nos atores… e pela cara dos demais atores da cena que ficam consternados dá até para acreditar…. rsrs Tem uma cena no Velozes e Furiosos, lá para o final, que o The Rock solta uma resposta espontânea e o Lucradis cospe a cerveja por não conseguir segurar o riso.

      Quanto a breja, o uso do café foi muito bem feito… eles conseguiram trazer muito do aroma sem forçar no paladar. E estava vendo com um pessoal da Brasil Kirin / Schin / Heineken que a Baden lançou uma breja com café esta semana… se não me engano uma Dunkel… vou ver se consigo uma garrafa…

      Abç
      Guzzon

      Responder
      1. Anselmo Mendo

        Essa do The Rock eu acredito mais. Acho estranho a do Goodfellas porque a cena tem várias tomadas e muitos cortes e fico imaginando que a espontaneidade só funciona se for numa tacada só. Mas pode ser que o Pesci começou a coisa e acharam que ficou tão bom que seguiram com a ideia no roteiro. Dunkel com Café? Muito bom. Vem com uma pra São Paulo, Guzzon, e gravamos um programa sobre ela. O que acha?

        Responder
        1. Fabrizio Guzzon Autor

          Anselmo,
          Vou falar para o pessoal esta trabalhando por lá pegar umas para mim e aviso vocês.

          Abç
          Guzzon

          Responder
  3. Daniel Córdova

    Fala Guzzon!
    Já vi essa cerveja diversas vezes pra vender mas até agora não provei. Vou dar uma chance da próximas vez, pois me pareceu bem boa pela descrição.

    Acho muito boa a inserção de café na cerveja e nosso país tem tudo pra fazer isso bem, já que temos uma certa facilidade de arranjar café fresco.

    Bela harmonização!

    Abraço!

    Responder
    1. Fabrizio Guzzon Autor

      Grande Daniel,

      Temos uma cultura cafeeira aqui que é subaproveitada pelas cervejarias… são poucas cervejas de linha, como a Demoiselle, que colocam o café na sua formulação. As outras são cervejas sazonais ou de única produção.

      Caso encontre essa breja, eu sugiro provar, vale a pena.

      Abç
      Guzzon

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*